Últimas Notícias > Notícias > Brasil > O embate entre setores do Ministério Público e do Supremo alcançou um novo patamar após a revelação de que o presidente da Corte solicitou dados de relatórios feitos pelo Coaf e pela Receita Federal

Dois dos cinco navios gregos notificados por vazamento no Nordeste não transportavam petróleo da Venezuela quando passaram pela costa, aponta agência

Navio Bouboulina, da Delta Tankers. (Foto: Delta Tankers/Divulgação)

Entre os cinco navios gregos notificados pela Marinha do Brasil na investigação sobre o vazamento de óleo no Nordeste, dois não transportavam petróleo da Venezuela. Entre os três que levavam óleo venezuelano, apenas um – o Bouboulina – teria passado pelo litoral nordestino antes do dia 30 de agosto, quando as primeiras manchas foram registradas pelo Ibama.

As informações sobre a carga e a trajetória dos cinco navios notificados foram divulgadas pela agência de geointeligência Kpler, com base nos dados da notificação divulgados pela Delta Tankers, empresa proprietária do Bouboulina.

O navio foi apontado pela Polícia Federal, há uma semana, como o principal suspeito de ter causado o desastre ambiental que já atinge mais de 350 localidades. Apesar disso, a Marinha informou que as investigações continuam e que 30 navios foram notificados.

A Delta informou que o Bouboulina foi notificado pela Marinha do Brasil junto com outras quatro embarcações gregas: Maran Apollo, Maran Libra, Minerva Alexandra e Cap Pembroke.

A Petrobras disse que o material encontrado nas praias nordestinas é petróleo bruto originário de três diferentes campos da Venezuela.