Últimas Notícias > Capa – Caderno 1 > Tempo seco e temperaturas amenas marcam a próxima semana no Estado

Donald Trump tornou mais provável que a Amazon precise pagar mais ao enviar encomendas por meio do correio dos Estados Unidos

A Amazon fechou um acordo histórico com o correio em 2013. (Foto: Reprodução)

Donald Trump tornou mais provável que a Amazon precise pagar mais ao enviar encomendas por meio do correio dos EUA, ao ordenar uma revisão oficial da tabela de preços da agência federal para a entrega de pacotes.

Trump montou um grupo de trabalho para avaliar as “operações e finanças” do correio, depois de repetidas queixas de que a agência perde dinheiro com a entrega de produtos da Amazon.

A decisão mostra que o presidente está levando adiante sua cruzada contra a gigante de internet comandada por Jeff Bezos.

Ordem executiva da Casa Branca para a criação do grupo de trabalho –que será comandado por Steve Mnuchin, o secretário do Tesouro – informa que o grupo examinará “a expansão e os preços do mercado de entrega de encomendas e o papel do USPS [o correio dos Estados Unidos] nos mercados competitivos”.

A despeito das credenciais da Amazon no setor de alta tecnologia, ela depende de cerca de 230 mil trabalhadores dos correios para entregar milhões de pacotes no “trecho final” do trajeto até muitos domicílios americanos.

O descontentamento de Trump sobre a aliança entre a Amazon e o serviço postal parece estar conectado ao fato de Bezos ser dono do jornal Washington Post, um dos veículos de mídia menos queridos do presidente

A Amazon fechou um acordo histórico com o correio em 2013, nos termos do qual a organização aceitou fazer entregas aos domingos. O acordo, cujos termos são secretos, expirará neste ano.

As entregas de encomendas do comércio eletrônico são fonte de alta na receita do correio e de alguma maneira compensam o declínio acentuado no volume de correspondência que ele transporta. Mas, ainda assim, o correio americano vem registrando prejuízos líquidos nos últimos 11 anos – no ano passado foram US$ 2,7 bilhões.

O serviço postal do governo americano responde por entre 40% e 50% dos custos de transporte da Amazon nos EUA, segundo o Credit Suisse. Cada 5% de aumento nos custos postais representa US$ 400 milhões a mais em custos para a empresa a cada ano.

Se a revisão ordenada pela Casa Branca conduzir a um aumento de entre 15% e 20% nas tarifas postais, a empresa teria de elevar em US$ 20 ao ano a tarifa que cobra pelo serviço de entregas Amazon Prime na América do Norte, para cobrir a alta de custo, diz o Credit.

Aliados do serviço postal dizem que não há como ele perder dinheiro em seu serviço para a Amazon, porque uma lei proíbe que cobre de seus clientes menos do que o custo da entrega.

No entanto, críticos do correio dizem que essa garantia não procede. O serviço postal é acusado de subestimar o custo de seus serviços à Amazon porque seus dados são incompletos, e não houve atualização na fórmula pela qual o correio aloca custos fixos, para refletir o peso maior adquirido pelas entregas de pacotes.

Deixe seu comentário: