Segunda-feira, 16 de Dezembro de 2019

Porto Alegre
Porto Alegre
22°
Mostly Cloudy

Notícias Eliseu Padilha está internado em Porto Alegre após sofrer hemorragia cerebral

Eliseu Padilha foi ministro de Temer. (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil/Arquivo)

O ex-ministro da Casa Civil do governo Michel Temer, Eliseu Padilha, de 73 anos, está internado após uma hemorragia cerebral superficial no último sábado. Ele estava em seu escritório quando passou mal e foi levado ao Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre, onde foi submetido a uma tomografia e internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva). As informações são do jornal O Globo e da assessoria do hospital.

Após passar por um procedimento cirúrgico, Eliseu Padilha aguarda uma vaga para o quarto. Seu quadro, segundo o hospital, é estável. A instituição desmentiu a informação de que Padilha havia tido um AVC.

“Esclarecemos que o paciente não sofreu um acidente vascular cerebral. Seu estado requer cuidado e observação, mas não é considerado grave no presente momento”, informa o boletim médico. “No momento, ele está em fase de recuperação, com previsão de alta para o quarto”.

Eliseu Padilha é vice-presidente do MDB e da Fundação Ulysses Guimarães. Além de integrar o Ministério de Temer, ele foi ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil de Dilma Rousseff e ministro dos Transportes do governo de Fernando Henrique.

Denúncia em maio

A Justiça Federal em Brasília aceitou no início de maio a denúncia apresentada pelo MPF (Ministério Público Federal) contra o ex-presidente Michel Temer pelos crimes de organização criminosa e obstrução de Justiça. Os ex-ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco também fazem parte da denúncia. Com a decisão, todos passaram à condição de réus no processo.

O MPF sustenta que Temer e parlamentares do PMDB participaram de um suposto esquema de corrupção envolvendo integrantes do partido na Câmara dos Deputados com objetivo de obter vantagens indevidas em órgãos da administração pública. Parte das acusações foi baseada nos depoimentos de delação de Joesley Batista e Ricardo Saud, ex-executivos do grupo J&F.

Voltar Todas de Notícias

Compartilhe esta notícia:

Sempre quando chega julho começa a pressão para o governo antecipar o pagamento da primeira parcela do décimo terceiro dos aposentados, pensionistas e beneficiários do INSS
A corrente majoritária do PT pressiona Fernando Haddad para assumir o comando do partido
Deixe seu comentário
Pode te interessar