Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Novo código de ética médica começa a valer na próxima terça, medida foi definida hoje

Em busca de agenda estratégica para o RS

Encontro reuniu lideres de vários setores em busca de uma agenda comum. (Foto: Wilson Cardoso/Divulgação)

Um movimento importante foi realizado ontem no tabuleiro da vida institucional do Estado. Lideranças institucionais e politicas, representantes de instituições, reuniram-se na Assembleia Legislativa para debater uma nova forma de enfrentamento das dificuldades.

Representantes dos poderes

Atenderam ao chamado para o diálogo, o presidente da Assembleia Legislativa, Luis Augusto Lara, o governador, Eduardo Leite, o vice, Ranolfo Vieira Júnior, e o procurador-geral de Justiça, Fabiano Dallazen, além de autoridades de outras áreas e dirigentes de entidades de diversos segmentos da economia.

Proposta arrojada

A proposta é arrojada: iniciar um trabalho harmônico com políticos de diferentes partidos e com variadas ambições. Um exemplo prático foi trazido pelo governador Eduardo Leite. Ele comentou a discussão com a bancada federal gaúcha sobre as emendas parlamentares e explicou: “se olharmos no conjunto de quatro anos de mandato, cada deputado tem direito a R$ 15 milhões, e ainda R$ 250 milhões da bancada, recursos que somados representam mais do que o Estado tem de disponibilidade de caixa para fazer investimento sozinho por conta de sua restrição financeira”.

Estado pendurado

Um sério problema é vivenciado pelo Estado: uma liminar do ministro Marco Aurélio, do STF, autorizou o governo gaúcho a deixar de pagar a amortização mensal da dívida com a União. Em caso de suspensão desta medida cautelar, as despesas do Estado cresceriam em R$ 500 milhões mensais ou R$ 6 bi anuais.

Harmonizar propostas

A articulação com a bancada federal, para direcionar recursos das emendas, uma ideia simples, partiria de uma ação conjunta. O objetivo seria o direcionamento das emendas parlamentares para atender projetos específicos em área de saúde e segurança, buscando a oportunidade de aplicação organizada destes recursos. O governador exemplificou: “não adianta colocar volume grande no hospital, se o que é preciso é descentralizar e atender em polos regionais”.

 

Deixe seu comentário: