Últimas Notícias > Colunistas > TRF, Lula e Moro

Em caravana, Lula diz que vai continuar a desafiar o juiz Sérgio Moro e a Polícia Federal

O ex-presidente enalteceu a importância de se investir na educação. (Foto: Ricardo Stuckert)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse, nesta terça-feira (5), que vai continuar desafiando o juiz federal Sérgio Moro, o Ministério Público e a PF (Polícia Federal) a apresentar provas contra ele. Em um discurso endereçado a estudantes e apoiadores, Lula recomendou que seus simpatizantes prestem atenção no que ouvem porque, segundo ele, “a mentira hoje chega em tempo real”.

“Olha o que estão fazendo comigo neste momento. Eu poderia estar nervoso. Poderia estar irritado. Sei o que querem”, afirmou. O discurso aconteceu um dia depois de o desembargador João Pedro Gebran Neto concluir seu voto sobre recurso apresentado pelo petista ao TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) após a condenação no caso do triplex.

Lula foi condenado pelo juiz Sérgio Moro, em primeira instância, e recorreu ao Tribunal Regional Federal em Porto Alegre. Sem mencionar a decisão, Lula aconselhou os militantes a não se preocuparem. “Não se preocupem comigo. Vocês sabem que tenho nove processos. Nove. O processo contra o Lula é o processo contra as coisas que fizemos no governo”, afirmou ele.

O ex-presidente disse ter desafiado Moro a apresentar um centavo de deslize que tenha cometido. Minutos depois, arrematou: “Vou continuar desafiando o juiz, o promotor e a Polícia Federal”.

Após relatar aos simpatizantes detalhes da operação da PF em sua casa e nas de seus filhos, Lula voltou a cobrar um pedido de desculpas dos agentes da Operação Lava-Jato. Disse que, quando encontram evidências, “fazem um carnaval. Quando não encontram, ficam em silêncio”.

“Eles resolveram brigar comigo. Resolvi enfrentá-los.” O ex-presidente disse que “o País está azedo”, “disseminado pelo ódio”.

“Tem dias que você levanta e tem vontade de cobrir a cabeça e voltar a dormir”, disse, durante encontro com estudantes. Segundo ele, o “alarmismo é uma coisa absurda”. Ao mencionar notícias que antecederam sua visita ao Rio de Janeiro, Lula disse que a violência sempre existiu no Estado. “Ele está muito mais violento, porque, primeiro, todos os governantes estão presos.”

O ex-presidente Lula enalteceu a importância de se investir na educação durante a visita ao Instituto Federal do Espírito Santo, campus Cariacica, onde teve até uma aula sobre controle de máquinas elétricas no Laboratório de Ferrovias.

Segundo Lula, “a elite que governou esse país durante 500 anos nunca se importou com a educação do povo”. “De 1909 a 2003, tinham sido feitas no Brasil 140 escolas técnicas. Em apenas 12 anos, passando a 640 escolas técnicas”, lembrou o ex-presidente.

“Eu e Zé Alencar, os dois sem diploma, fizemos mais universidades do que qualquer outro governante em 500 anos de história”, recordou. “Não existe nenhuma possibilidade de esse país se tornar uma grande economia se a gente não investir em educação e pesquisa. Nós não teríamos descoberto o Pré-Sal se não tivéssemos investido milhões e milhões em pesquisa”, disse.

Deixe seu comentário: