Últimas Notícias > Magazine > Dicas de O Sul > Antonio Villeroy faz apresentação única no Theatro São Pedro dia 05 de dezembro

Em Fortaleza, o Inter realizou o primeiro treino antes de enfrentar o Fluminense

Ainda em Fortaleza, o Inter treinou já pensando no Fluminense. (Foto: Ricardo Duarte/Internacional)

Neste domingo (10), às 16h, o Inter recebe o Fluminense, no Beira-Rio, para a disputa de partida da 32ª rodada do Brasileirão. Lutando por uma vaga na Libertadores de 2020, o Colorado vai a campo em busca de uma vitória que permitiria atingir a mesma pontuação do Corinthians, primeira equipe do G-6.

Na manhã desta sexta-feira (8), a equipe colorada já iniciou os treinamentos, ainda em Fortaleza (CE), com os atletas que não iniciaram a partida da noite de quinta (7), quando foi derrotada pelo Ceará por 2 a 0.

Passado o confronto deste final de semana restarão apenas três partidas por serem jogadas pelo Inter em casa neste Brasileirão. Assim, à medida que a reta final do campeonato se intensifica, o apoio da torcida toma contornos cada vez mais fundamentais para o Colorado, que conquistou apenas 3 pontos nos últimos 15 disputados na competição nacional.

Fase

Após a derrota para o Ceará, na Arena Castelão, o executivo de futebol Rodrigo Caetano, deixou claro que o momento do time é considerado péssimo, tendo em vista a reta final do campeonato. Agora, restam sete rodadas para a equipe atingir o objetivo da classificação para a Libertadores de 2020.

“Em relação a nossa fase, ela não é ruim, é péssima. Um sequência de resultados negativas em fase decisiva da competição. Pontos que ficam para trás, com todo respeito aos adversários, mas principalmente com relação a nossa própria performance. Além de não termos jogados bem hoje, apesar de tido a posse, termos tentado, mas não tivemos competência de vencer o jogo. As nossas avaliações sempre vão acontecer até o fim do ano. Temos aspirações ainda. Temos que conseguir a vaga para a Libertadores, estar na parte de cima da tabela. Não podemos ficar remoendo as coisas, fazermos nossas avaliações, as cobranças, os próprios jogadores se cobram muito”, declarou Caetano.

Com duas derrotas seguidas, houve especulações quanto ao ambiente entre os jogadores. Contudo, o dirigente foi enfático ao dizer que existe sim, a indignação dos próprios atletas.