Últimas Notícias > CAD1 > Mais de 400 vagas estão disponíveis no Rio Grande do Sul

Em meio à crise no Ministério da Educação, ministro se reúne com Bolsonaro no Palácio do Planalto

O encontro não estava previsto na agenda dos dois. Vélez (D) deixou o gabinete de Bolsonaro sem falar com a imprensa. (Foto: Divulgação)

Em meio a uma crise no MEC (Ministério da Educação), o ministro Ricardo Vélez Rodríguez foi ao Palácio do Planalto nesta segunda-feira (25) para uma reunião com o presidente Jair Bolsonaro. O encontro não estava previsto na agenda dos dois. É o segundo dia consecutivo de conversas entre o presidente e o titular da pasta.

Vélez deixou o gabinete de Bolsonaro no fim da tarde sem falar com a imprensa. A assessoria da Presidência disse que Vélez foi ao Planalto para participar de uma videoconferência sobre a Antártica.

No domingo (24), Bolsonaro ordenou que Vélez demitisse o coronel da Aeronáutica, Ricardo Roquetti, desafeto do grupo de auxiliares indicados pelo escritor Olavo de Carvalho. As manifestações do grupo que se autointitula “olavetes”, por serem seguidores de Olavo de Carvalho, nas redes sociais contra Roquetti surtiram efeito.

Eles receberam informações de que seriam deslocados de cargos-chave dentro do MEC. Como reação, Olavo de Carvalho recomendou, também na internet, que todos os alunos de seus cursos online que têm cargo no governo deixem seus postos.

Um dos “olavetes”, Silvio Grimaldo, afirmou que Roquetti estava blindando o ministro e o levando a tomar decisões erradas, como no caso da carta enviada às escolas pedindo filmagem das crianças cantando o Hino Nacional. Grimaldo anunciou que estava deixando o MEC por não aceitar ser colocado para fazer “guerra cultural” em outro cargo na Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior).

Onyx Lorenzoni

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse na semana passada que o presidente Jair Bolsonaro não vai demitir o ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez. “Vai demitir coisa nenhuma, o presidente confia nele”, disse o ministro gaúcho, de acordo com informações divulgadas pelo blog da jornalista Andréia Sadi.

Questionado sobre o porquê de o ministro ter sido chamado ao Palácio do Planalto, Onyx respondeu: “Para conversar, somos um time. As pessoas acham e não se deram conta de que somos time e temos alma”.

Há uma pressão de ministros da ala militar para que Vélez deixe o governo federal. Ministros afirmam que o seu colega da Educação causa polêmicas desnecessárias e estão em confronto com Olavo de Carvalho, padrinho de Vélez. No entanto, Onyx disse: “Não sai. Pode cravar que Vélez não sai”.

 

Deixe seu comentário: