Últimas Notícias > Notícias > Brasil > O Supremo arquivou a 7ª investigação sobre o senador Renan Calheiros

Empresária diz ter sido jogada pelo marido do segundo andar de um edifício

Bombeiros estimam que vítima caiu de seu apartamento (foto) a uma altura de, pelo menos, 6 metros. (Foto: Reprodução)

Uma empresária de 27 anos afirma ter sido jogada pelo marido da sacada do apartamento onde moram, no segundo andar de um prédio do Residencial Eldorado, em Goiânia (GO). O suspeito está preso e negou a agressão à Polícia Civil. Internada em um hospital da capital goiana, a vítima – que está em estado regular de saúde – contou que o marido a trancou no imóvel durante uma briga.

“Ele trancou o apartamento, pegou a chave, guardou na cueca. Aí, ele falou que  ia mostrar que ele é homem. Aí, ele pegou a faca,  me jogou lá de cima do segundo andar pela sacada”, relatou a mulher. Ela afirma ter quebrado os dentes e os tornozelos ao ser jogada, na madrugada de domingo (23) . A polícia ainda investiga se ela realmente foi jogada ou pulou da sacada com medo do companheiro.

Queda de 6 metros

O Corpo de Bombeiros disse à reportagem que não tem como precisar a altura da queda porque não houve medição do local, mas estima uma altura de, pelo menos, 6 metros, já que, em geral, cada andar de um prédio tem altura aproximada de 3 metros.

De acordo com a delegada Ana Elisa Gomes Martins, horas antes do fato, o casal brigou em uma festa. Na confusão, o homem bateu na empresária, que pegou o carro e voltou para casa. “Ela chegou ao prédio já bastante ferida porque pessoas que trabalham no local viram essas lesões”, contou Ana Elisa.

Logo depois de a vítima entrar no edifício, o marido  chegou ao local em outro automóvel. Conforme o depoimento de funcionários do condomínio, em um curto espaço de tempo, a mulher caiu do apartamento.

Perseguição e captura

O suspeito fugiu do local, mas foi preso horas depois, quando a mãe da vítima o viu na portaria do prédio e o perseguiu.  “Ele viu que eu estava chegando e saiu correndo. Sai correndo atrás dele, eu de carro e ele a pé. Na hora, parei o trânsito todinho, gritei para todo mundo ouvir. Graças a Deus passou uma viatura, eles pararam e algemaram ele”, conta a mãe da vítima, que não quer ser identificada.

Ao ser preso, ele negou que tivesse agredido a mulher. “Ele disse que não a agrediu, que ela se jogou, que ela toma remédios controlados”, contou a delegada. (AG)

Deixe seu comentário: