Últimas Notícias > Capa – Caderno 1 > Confronto entre coletes amarelos e polícia marca Páscoa em Paris

Entenda a crise entre o presidente Jair Bolsonaro e Rodrigo Maia em seis pontos

Entenda como começou a troca de farpas entre o presidente da República e o deputado federal. (Foto: Marcos Corrêa/PR)

Em meio às dificuldades de articulação política do governo federal e à tramitação da reforma da Previdência na Câmara, o presidente Jair Bolsonaro e o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ) continuaram a trocar acusações na quarta-feira (27). Em entrevista à TV Band, Bolsonaro disse que o deputado está “um pouco abalado com questões pessoais”. Maia rebateu dizendo que o presidente está “brincando de governar”. A declaração gerou uma tréplica de Bolsonaro, que participou de um evento beneficente em São Paulo.

A relação entre os dois piorou no último final de semana, quando Maia cobrou publicamente um maior empenho do governo pela Reforma da Previdência. Na ocasião, Bolsonaro subiu o tom e, em viagem ao Chile, afirmou que já fez sua parte e que “não vai entrar no campo de batalha do Congresso”.

Entenda a crise

1) Ruídos na tramitação do pacote anticrime: Maia retarda a tramitação do pacote anticrime do ministro Sérgio Moro. Este reclama via mensagem de celular que um acordo estava sendo descumprido. Maia vai a público e diz que o ex-juiz está “confundindo as bolas” , sem entender de política, apenas um funcionário do presidente Bolsonaro.

2) Provocação de Carlos Bolsonaro nas redes: Em sinal de apoio a Moro, Carlos Bolsonaro posta em uma rede social: “Por que o presidente da Câmara anda tão nervoso?”. Naquele dia o ex-ministro Moreira Franco, casado com a sogra de Maia, havia sido preso.

3) Maia anuncia que não articulará mais a reforma: Irritado com as provocações de Carlos, Maia afirma que não conduzirá mais as articulações pela aprovação da reforma da Previdência. “A responsabilidade do diálogo daqui pra frente com os deputados passa a ser do governo”.

4) Ironias de Bolsonaro e citações à ‘velha política’: Em viagem ao Chile, Bolsonaro voltou a alfinetar Maia. Comparou o presidente da Câmara com uma “namorada” que quer ir embora. Ele disse ainda que “tem político que não quer largar a velha política”.

5) PEC do Orçamento e ausência de Guedes: Na terça-feira (26), o ministro Paulo Guedes, principal fiador da reforma da Previdência, deixou de ir à Câmara para debater a proposta. Horas depois, deputados aprovaram projeto que engessa ainda mais o Orçamento.

6) Nova troca de ataques e mais impasse: Bolsonaro afirmou que Maia está “um pouco abalado com questões pessoais”. O deputado rebateu dizendo que o presidente está “brincando de governar ”. Em tréplica, Bolsonaro lamentou declaração de Maia.

Deixe seu comentário: