Últimas Notícias > Colunistas > Militares & Witzel

“Estar ativo nas mídias sociais é muita pressão”, disse a modelo Cindy Crawford

Cindy Crawford em evento da Omega, na China. (Foto: Divulgação)

Alessandra Ambrosio voou de São Paulo para Xangai (China) no fim de outubro, antes de seguir para a Espanha para outros compromissos profissionais. Cindy Crawford deu uma pausa nos preparativos de sua tradicional festa de Halloween, em Los Angeles (EUA), para também passar algumas horas na cidade chinesa. Nicole Kidman interrompeu seus poucos dias de férias anuais (depois de gravar a segunda temporada da série “Big Little Lies”, da HBO), para se juntar à dupla no Oriente.

As três têm horas cronometradas em agendas lotadas, mas, como embaixadoras da Omega, uma marca de relógios que vende o “tempo” em luxuosas embalagens, elas parecem manejá-las com a precisão dos relojoeiros suíços.

“O que você realmente aprende quando tem uma carreira e é mãe numa idade mais avançada (Nicole, de 51 anos, tem duas filhas com Keith Urban, Sunday, de 10, e Faith, de 7; Isabella, de 25, e Connor, de 23, frutos do casamento com Tom Cuise) é a preciosidade do tempo”, diz a atriz australiana, nascida no Havaí. “Na maior parte da minha vida, fui uma dessas pessoas que dizem ‘sim, sim, sim’ e depois estava exausta. Trabalhei muito para ser capaz de falar ‘não'”.

Entre o “sim” e o “não”, Nicole, Cindy e Alessandra chegaram a patamares, na moda e no cinema, que as colocam entre as mulheres mais celebradas do planeta. Alessandra, por exemplo, faz um estrondoso sucesso no mercado americano, muito por causa do papel de angel da grife de lingerie Victoria’s Secret, e é reverenciada também na China como se fosse uma celebridade local. No meio disso tudo, conseguiram construir famílias, que, no fim das contas, são as donas das melhores horas de cada uma.

“Sou muito rigorosa com os limites do trabalho que levo para o lar. Tinha um escritório em casa e hoje ele não existe mais. Foi a melhor coisa que fiz. Não tenho TV no quarto e nunca uso computadores na cama”, diz Nicole.

A rotina de atenção total é muito compartilhada principalmente pelas duas mais velhas do trio. Diferentemente de Alessandra, de 37 anos, que, por causa da profissão e da concorrência das “instamodels” é a mais adepta dos selfies e das stories, Cindy e Nicole não são do tipo que dividem a vida entre o real e o virtual o tempo todo.

“Você não pode estar presente sendo multitarefa. Não vivo preocupada com o telefone”, diz Cindy, de 52 anos, mãe dos também modelos Presley, de 19 , e Kaia, de 17. “Os valores que tento passar para minhas duas crianças são: sejam pontuais, respeitosos e larguem os celulares. Os jovens perdem muito momentos porque estão sempre assim (ela faz sinal com as mãos como se estivesse digitando) . Estar ativo nas mídias sociais é muita pressão.”

O fato de ter uma brasileira recém-chegada ao grupo de embaixadoras da marca (Cindy e Nicole estão há mais de 15 anos na função que Alessandra começou a desempenhar agora) ajudou a colocar o Brasil na conversa entre as “gringas”. A referência de todas, no entanto, acabou não saindo muito da moda, mas Nicole, atenção, anda esperando um convite para pintar por aqui.

“Acredita que nunca fui ao Brasil? Preciso ir para conhecer mais”, diz ela, antes de se render a Gisele Bündchen. “Ela é divina e dona de uma vida incrível.”

Os orientais ficaram curiosos com as dicas de Alessandra, que diz advogar pelo estilo brasileiro de “beleza natural”.

“Existem muitos lugares e marcas a serem exploradas no País. Especialmente na moda praia, que, para mim, é a melhor do mundo. No Brasil, eles sabem fazer a modelagem muito bem. O melhor tecido vem de lá. Amo a Lenny Niemeyer”, afirma a modelo, que tem sua própria etiqueta de biquínis, a Ale by Alessandra.

A curiosidade também passou com folga pelo assunto filhos. Cada uma tem dois, todos crianças e adolescentes que vivem às voltas com a fama das mães desde o nascimento.

“Minhas filhas fazem o estilo menininha. Uma regra delas é que eu use vestido para buscá-las na escola. Sério, se vou fazer alguma leitura ou ajudar em algum trabalho voluntário no colégio, tenho que estar maquiada e com cabelo arrumado. Uma vez, apareci com roupas de ginástica, e a mais nova ficou muito envergonhada”, contou Nicole, antes de soltar uma gargalhada.

Cindy, mãe de adolescentes que já têm fama no mundo fashion, aproveita sua bagagem como uma das grandes supermodelos da história para influenciar e proteger suas iniciantes carreiras e discutir péssimos hábitos da indústria. Segundo depoimentos da filha, há coisas mudando paulatinamente, por causa do movimento #MeToo.

Deixe seu comentário: