Últimas Notícias > Colunistas > Armando Burd > Governo deve explicar a pressa

Estudo censurado aponta que epidemia de drogas não se confirma

(Foto: Reprodução/ Agência Brasil)

Censurado em um primeiro momento pelo governo federal, um estudo feito pela Fiocruz sobre uso de drogas por brasileiros foi divulgado nesta quinta-feira (08), após um acordo entre a AGU (Advocacia Geral da União), o Ministério da Justiça e Segurança Pública e a Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz). Contestada pela pasta da Justiça, pesquisa mostrou que não existe uma epidemia de uso de drogas no Brasil.

A metodologia usada pelos pesquisadores não agradou a pasta, que afirmou que o levantamento não cumpriu todas as exigências do edital e não permitiria a comparação de dados com pesquisas anteriores. Já a Fiocruz afirma que cumpriu todas as exigências propostas.

A pesquisa

Os dados revelados não confirmam a epidemia de drogas que o governo e parlamentares divulgam. O levantamento aponta, por exemplo, que quase 10% da população já usou alguma droga ilícita uma vez na vida — taxa semelhante a de outros países.

O problema de maior destaque revelado pela pesquisa é o uso do álcool: 66,4% dos brasileiros já fizeram uso de bebidas alcoólicas na vida, 43,1% no último ano e 30,1% nos últimos 30 dias.

Foram ouvidas quase 17 mil pessoas no país em 2015. O grupo técnico envolveu 400 pesquisadores, técnicos, entrevistadores de campo e equipe de apoio.