Últimas Notícias > CAD1 > Jogando fora de casa, o Inter enfrenta nesta quarta-feira o Bahia com o desafio de manter no segundo turno do Brasileirão a boa campanha colorada

Fernando de Noronha foi festejada pelos seus 515 anos

O arquipélago é formado por 21 ilhas, ilhotas e rochedos de origem vulcânica. (Foto: Reprodução)

Fernando de Noronha fez muita festa para comemorar os 515 anos de descobrimento. O show de aniversário, realizado no Porto de Santo Antônio, só terminou na manhã de sábado. Passaram pelo palco Capim Açu, Ju Medeiros, Josildo Sá, Beto Hortis, Maciel Melo e Nando Cordel.

A praça ficou lotada, o hino da ilha foi tocado pela Banda Marcial da Escola Arquipélago. O corte do bolo foi feito pelo administrador de Noronha, Guilherme Rocha e a pousadeira Josefa Nunes. Moradores e turistas cantaram e dançaram a noite inteira.

A Assembleia Popular Noronhense realizou uma manhã de sol com atividades de lazer e saúde. A tarde teve campeonato de argolinha no Campo Pianão. A programação do aniversário da ilha foi promovida pela Administração de Fernando de Noronha e a Empresa Pernambucana de Turismo (Empetur).

O Arquipélago

Fernando de Noronha é um arquipélago brasileiro do Estado de Pernambuco. Formado por 21 ilhas, ilhotas e rochedos de origem vulcânica, ocupa uma área total de 26 km² – dos quais 17 km² são da ilha principal – e se situa no Oceano Atlântico, distante 360 km a nordeste de Natal, no Rio Grande do Norte, e 545 km a nordeste da capital pernambucana, Recife.

Avistada pela primeira vez entre 1500 e 1502, tem sua descoberta atribuída a uma expedição comandada pelo explorador Fernão de Loronha, embora haja controvérsias; porém é certo que o primeiro a descrevê-la foi Américo Vespúcio, em expedição realizada entre 1503 e 1504. Primeira capitania hereditária do Brasil, o arquipélago sofreu constantes invasões de ingleses, franceses e holandeses entre os séculos XVI e XVIII. Em 24 de setembro de 1700, Fernando de Noronha tornou-se, por carta régia, dependência de Pernambuco, capitania com a qual já tinha uma ligação histórica. Em 1736 a ilha foi invadida pela Companhia Francesa das Índias Orientais, passando-se a chamar Isle Dauphine, porém, no ano seguinte, uma expedição enviada pelo Recife expulsou os franceses. Em 1942, com a Segunda Guerra Mundial, o arquipélago tornou-se território federal, cuja sigla era FN, passando a servir como base avançada de guerra; mas voltou à administração pernambucana quatro décadas e meia depois, no ano de 1988. Atualmente Fernando de Noronha constitui um distrito estadual de Pernambuco, e é gerida por um administrador-geral designado pelo governo do Estado.

Após uma campanha liderada pelo ambientalista José Truda Palazzo Júnior, em 14 de outubro de 1988 a maior parte do arquipélago foi declarada Parque Nacional, com cerca de 11,270 ha, para a proteção das espécies endêmicas lá existentes e da área de concentração dos golfinhos rotadores (Stenella longirostris), que se reúnem diariamente na Baía dos Golfinhos – o lugar de observação mais regular da espécie em todo o planeta. No ano de 2001 a UNESCO declarou Fernando de Noronha Patrimônio Natural da Humanidade.

O centro comercial de Fernando de Noronha é o núcleo urbano de Vila dos Remédios, que não é considerada capital por ser a ilha um distrito estadual. A administração do Parque Nacional está atualmente a cargo do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

Deixe seu comentário: