Últimas Notícias > Notícias > As obras no aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, causam mudanças nos voos que saem de Porto Alegre

Fim do Horário de Verão pode afetar a saúde?

Especialista do Grupo Fleury, detentora da marca Weinmann no Rio Grande do Sul, dá dicas de como se adaptar facilmente à troca de horário e continuar bem-disposto. Foto: divulgação

O fim do Horário de Verão é uma boa notícia para uns e má para outros. No entanto, independentemente das preferenciais de cada um, a adição de uma hora no dia pode acabar afetando o bem-estar do sistema biológico. Neste ano, a troca para o horário tradicional está agendada para o próximo sábado, 16 de fevereiro. Por isso, a neurologista e especialista em Medicina do Sono do Grupo Fleury, detentora da marca Weinmann no Rio Grande do Sul, Dra. Rosana Cardoso Alves, alerta para algumas dicas que ajudam a não sentir os efeitos no corpo que uma horinha a mais no dia pode causar.

O alerta vale especialmente para os idosos e crianças que são mais suscetíveis a terem o organismo desregulado, como alterações no sono e falta de apetite, pela rotina mais regrada. “Isso acontece por causa do ritmo circadiano, o período de 24 horas que regula o nosso ciclo biológico e que sofre uma modificação com a chegada e o término do Horário de Verão. Estamos acostumados a manter o estado de vigília durante o dia e o estado de sonolência à noite. Quando mudamos o relógio, o corpo pode estranhar a troca destes estados”, afirma Dra. Rosana.

Em adultos de modo geral, o processo de adaptação aos novos horários costuma ser de cerca de um dia para cada hora alterada. “Quando viajamos para países com grande diferença de fuso horário, por exemplo, o corpo tende a demorar mais para se adaptar. Após o fim do Horário de Verão, no entanto, o corpo deve mostrar sinais de que já está de acordo com o novo ritmo em no máximo dois dias”, ressalta a médica.

Ajude o seu corpo
Para aqueles que desejam cuidar do reequilíbrio de seu sistema biológico, a fim de absorver a mudança com facilidade já na primeira noite do novo horário, as dicas são: ajuste a luminosidade do quarto para ajudar que o sono chegue mais rápido, lembrando da hora extra que se ganha quando o relógio deixa de marcar meia-noite e retorna para às 23h; opte por refeições de fácil digestão; evite bebidas alcóolicas ou com cafeína, mesmo sabendo que a troca vai acontecer na noite de sábado, quando alguns excessos nos hábitos tendem a ser permitidos. “O chimarrão, por exemplo, deve ser evitado depois das 17 horas, pois 100 ml da bebida correspondem a meia dose de café expresso. São mudanças simples, que ajudam o corpo e nos deixam com mais disposição já no dia seguinte”, finaliza.

Deixe seu comentário: