Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Bolsonaro assina decreto sobre bem-estar de animais em rodeios

Ford Mustang é o cupê esportivo mais vendido do mundo pelo quarto ano seguido

Foram vendidas 113.066 unidades do carro esportivo em mais de 140 países no ano passado. (Foto: Divulgação)

Ao mesmo tempo em que celebra o aniversário de 55 anos do seu lançamento, o Ford Mustang comemora o fato de ter se tornado o cupê esportivo mais vendido do mundo pela quarta vez consecutiva.

Segundo dados divulgados pela consultoria IHS Markit, foram entregues 113.066 unidades do carro no ano passado em 146 países, dentro do que pode ser considerado o maior alcance comercial registrado entre todas as gerações do veículo.

Os Estados Unidos participaram da conta com 75.842 unidades (cifra que garantiu a liderança do segmento no país, à frente do Chevrolet Camaro e do Dodge Challenger), enquanto o Brasil respondeu por algo próximo de 1.000 exemplares.

Carros automáticos

Os carros automáticos e automatizados ganharam espaço no Brasil: o número de emplacamentos em dez anos triplicou no País, de acordo com a consultoria Jato. A oferta de modelos que dispensam o pedal da embreagem aumentou e tirou desse recurso o caráter de luxuoso, ainda que versões com esse tipo de transmissão custem mais.

No ano passado, os modelos com transmissão automática ou automatizada representaram 47,9% do mercado brasileiro. Há dez anos, detinham apenas 12,7% do total.

A alta nas vendas aponta também para um novo comportamento do consumidor, em busca de conforto e praticidade. “Fico muito tempo parada no trânsito de São Paulo e trocar marchas acaba cansando muito”, diz a publicitária Carla Rigolo, de 25 anos, que trocou um carro manual por um automático em maio de 2018.

Para Vinicius Barreto, 26 anos, coordenador de marketing, a compra de seu Peugeot 2008 em fevereiro de 2017 foi motivada pelos longos trajetos ao volante: “Gosto de fazer viagens longas em feriados e já voltei com muita dor no pé por conta da embreagem”.

O mercado brasileiro oferece transmissão automática e automatizada, que também dispensa o pedal da embreagem. Esta última tem dois tipos: as de embreagem simples e as de dupla embreagem (apesar do nome, não há pedal).

As de embreagem simples surgiram como alternativa em modelos nos quais um câmbio automático ficaria caro demais. Por isso, o seu funcionamento tem alguns poréns, como trocas mais lentas e trancos, o que também prejudica o desempenho.

Na automatizada de dupla embreagem, isso não acontece: assim como na transmissão automática “clássica”, as trocas são rápidas e suaves, graças a um sistema mais sofisticado.

Deixe seu comentário: