Últimas Notícias > Notícias > Porto Alegre e Região Metropolitana voltaram a enfrentar transtornos por causa de temporal

“Fui longe demais, então perdi o privilégio de beber álcool”, conta Brad Pitt

O ator em cena em "Ad Astra". (Foto: Divulgação)

Brad Pitt viveu momentos turbulentos nos últimos anos, com a separação de Angelina Jolie após uma briga por causa da relação do ator com o álcool. Em cartaz nos cinemas com ” Era uma vez em… Hollywood ” e com outro filme de destaque, “Ad Astra”, perto de estrear, ele falou ao “The New York Times” sobre sua recuperação. A gota d’água no relacionamento de 11 anos ocorreu em setembro de 2016, quando o casal brigou porque ele estava bebendo a bordo de um avião particular.

“Eu levei tudo o mais longe que pude, então perdi o privilégio de beber”, disse o ator ao repórter Kyle Buchanan. Após a separação, ele passou um ano e meio no Alcoólicos Anônimos, num grupo composto inteiramente por homens. “Todos aqueles homens estavam ali sentados e falando de forma aberta e honesta como eu nunca tinha visto. Era um espaço seguro onde havia pouco julgamento e, portanto, pouco julgamento de si mesmo.”

Confiança nos Alcoólicos Anônimos

A confiança mútua foi comprovada pelo fato de nenhum dos participantes do grupo ter vendido qualquer uma das histórias de Pitt a tabloides: “Foi realmente muito libertador expor meu lado sombrio. Há um grande valor nisso.”

Pitt e James Gray, diretor de “Ad Astra”,  são amigos há mais de duas décadas e desde então tentam trabalhar juntos. Houve uma tentativa frustrada em “A cidade perdida de Z” — o papel foi para Charlie Hunnam. “Naquela época, viajar para a Amazônia simplesmente não se encaixava na minha agenda”, diz Pitt.

Viagem espacial solitária

Agora, em “Ad Astra”, Pitt interpreta um astronauta que vasculha a galáxia em busca de seu pai desaparecido (Tommy Lee Jones) — em latim “ad astra” que dizer literalmente “até os astros”. O filme tem sequências visuais impressionantes, mas é mais intropectivo, com longos trechos apenas com o ator na tela. No início de 2017, quando Pitt se comprometeu a estrelar “Ad astra”, ainda estava sofrendo com sua recente separação de Angelina Jolie. Segundo o diretor, parte desse drama pessoal inspirou o a atuação.

“Ele trouxe estímulos de sua vida pessoal”, diz Gray. “Não entrei em detalhes com ele sobre isso — não acho que seja da minha conta, nem parte do trabalho — mas ele investigou a essência do personagem através de si mesmo”.

“Ad Astra” foi exibido no Festival de Veneza e chega aos cinemas no Brasil em 19 de setembro.

Deixe seu comentário: