Home > Notícias > Brasil > A oposição promete obstruir as votações da Câmara dos Deputados e do Senado em meio à crise política no País

Nos Estados Unidos, menina de 6 anos usa impressão digital do dedo da mãe adormecida para comprar 250 dólares em brinquedos do Pokémon através da internet

Ashlynd admitiu ter feito as compras e disse para a mãe ficar tranquila, pois "tudo chegaria em casa pelo correio". (Foto: Reprodução/Facebook Bethany Johnson Howell)

A pequena Ashlynd Howell tem apenas 6 anos de idade, mas uma criatividade sem limites. Ela assistia a um filme com a mãe, Bethany, que estava muito cansada e acabou dormindo. A garota não perdeu tempo e logo pegou o celular da mãe. “Ela sempre usa o aparelho para entrar na Netflix ou no YouTube, então quando eu acordei e a vi brincando, não pensei nada”, relatou Bethany ao canal de TV americano Fox News.

No entanto, quando seu marido chegou em casa tarde naquela noite, perguntou a ela o que havia comprado para Ashlynd na Amazon. Como ela não fez nenhuma compra on-line no dia, os dois pensaram que tinham sido hackeados, já que o site informava que haviam gasto quase US$ 250. Mas, ao olhar a lista de compras, Bethany não teve dúvidas. Todos os 13 itens comprados eram brinquedos do Pokémon, a mais nova obsessão da pequena. “Aí eu pensei: ‘se eu não comprei e você [o marido] não comprou nada, só tem uma pessoa na casa que poderia ter feito isso'”, contou ao BuzzFeed News.

Na manhã seguinte, ela confirmou o ocorrido com a filha, que ainda quis tranquilizá-la: “Não se preocupe. Tudo vai vir direto para casa.” Além disso, confessou ter usado o polegar da mãe para desbloquear o aparelho.

Os pais ensinaram Ashlynd sobre como funciona o dinheiro e que, quando ela quiser comprar algo, precisa merecer e pedir antes. No fim das contas, os pais conseguiram devolver quatro dos 13 brinquedos. Os outros foram ‘interceptados pelo Papai Noel’ e entregues à pequena na manhã de Natal, já que Bethany e o marido ainda não tinham comprado os presentes. Claro, ela amou a “surpresa” e não conseguia parar de dançar pela sala com os Pokémons, relatou a mãe.

Comentários