Últimas Notícias > Notícias > O Facebook registra tendência de queda no Brasil. O WhatsApp mantém a liderança e está no celular de 69% dos entrevistados

Governo assina projeto e define regras para ensino domiciliar

O homeschooling prevê que o aluno estude em casa e possua um plano de aulas. (Foto: Banco de Dados)

Nesta quinta-feira (11), o governo federal assinou o projeto de lei que autoriza a educação domiciliar e anunciou regras a serem seguidas para quem optar pela prática. Porém, as normas só serão válidas, caso o projeto de lei seja aprovado. Umas delas prevê que a escolha por esse modelo de ensino terá que ser comunicada pelos responsáveis legais do estudante, em uma uma plataforma virtual do Ministério da Educação (MEC). Além disso, será necessária a apresentação de um plano pedagógico individual.

Conhecida como homeschooling, a forma de educação deverá ser informada a cada ano letivo, junto com o planejamento de aulas e conteúdos. A avaliação será realizada a partir do 2º ano do ensino fundamental, anualmente, com elaboração e gestão do Ministério, preferencialmente em outubro. O custo do será isento para famílias de baixa renda serão estabelecidas.

Quem pode praticar ensino domiciliar

Conforme o PL, todos os alunos poderão estudar em domicílio, caso seja vontade dos responsáveis. O  direito é retirado somente nos seguintes casos:

estudante reprovar por dois anos consecutivos, nas avaliações e provas de recuperação;

estudante reprovar, em três anos não consecutivos, nas avaliações e nas recuperações;

estudante faltar à avaliação anual e não justificar sua ausência;

responsável não renovar o cadastro anual do estudante na plataforma virtual.

Deixe seu comentário: