Últimas Notícias > CAD1 > Confira qual é o reforço que o Grêmio aguarda para o segundo semestre

Um homem foi preso com 1 milhão e seiscentos mil reais em ouro no aeroporto de Brasília. As peças foram pintadas para disfarçar

A tinta para disfarçar o metal descascou. (Foto: Reprodução)

A PF (Polícia Federal) prendeu um homem que tentava viajar para Belo Horizonte (MG) com 11 quilos de ouro em uma mala. O suspeito conseguiu embarcar em Boa Vista (RR), mas foi interceptado durante a conexão do voo no Aeroporto Internacional de Brasília.

Segundo a PF, o dono da mala – um empresário com negócios em Minas Gerais e em Roraima – chamou a atenção dos investigadores, que decidiram submeter a bagagem a um exame de raio-X. De acordo com a perícia, o ouro apreendido tem alto grau de pureza, e a carga é avaliada em R$ 1,6 milhão. O homem chegou a apresentar uma nota fiscal, mas o documento não convenceu os policiais.

A Polícia Federal afirma que o suspeito derreteu, moldou e pintou o metal na tentativa de enganar os fiscais. A ideia era simular peças usadas na construção civil. No aeroporto, a tinta saiu na mão dos investigadores. Acusado vai responder por lavagem de dinheiro e usurpação de bens da União. A pena combinada pode chegar a 15 anos de prisão.

A PF ainda investiga a origem do metal precioso. O suspeito tem uma empresa de cobrança em Boa Vista e uma joalheria em Belo Horizonte. No depoimento à PF, ele preferiu ficar calado, e disse que “seria morto” se passasse qualquer informação.

“A investigação ainda é incipiente, mas a PF acredita que esse ouro tenha vindo de garimpos ilegais da região de Roraima, das terras yanomami. A investigação vai prosseguir para tentar identificar esses garimpos e os garimpeiros. Tanto a origem, quanto o destino desse ouro”.

Em março, a Polícia Federal apreendeu em Roraima, 12 barras de ouro no valor aproximado de R$ 1,3 milhão. As barras, com peso total de 8,9 quilos, estavam com um passageiro no aeroporto de Boa Vista. Ele foi preso em flagrante por crime contra a ordem econômica.

O preso, morador de Parauapebas, no Pará, tentava embarcar com as barras para Brasília. Ele confessou o crime, mas não detalhou a procedência do ouro apreendido em sua mala, nem se houve autorização para sua extração. O homem, de 41 anos, foi encaminhado à penitenciária em Roraima.

“Barrigas falsas”

A PF deteve em flagrante duas irmãs que transportavam 5,6 quilos de cocaína em “barrigas falsas” no Aeroporto Internacional de Brasília. Segundo a PF, uma delas é menor de idade. A dupla saiu de Porto Velho (RO) e pegaria outro voo com destino a Recife (PE). De acordo com a corporação, o nervosismo das mulheres chamou a atenção de agentes de PF, que decidiram fazer a abordagem.

As barrigas que simulavam gravidez eram, na verdade, sacos de lixo cheios de cocaína, presos ao corpo com faixas de gaze cirúrgica. A PF não informou se as mulheres usavam os mesmos “trajes” no trajeto de Porto Velho à capital federal.

A suspeita menor de idade foi encaminhada à Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente, e a adulta, à Superintendência da Polícia Federal no DF. Elas responderão por tráfico de drogas – o caso da adolescente é enquadrado como “ato infracional análogo ao tráfico”.

Deixe seu comentário: