Home > Notícias > Brasil > Com 175 mil pedidos na fila de espera, a Polícia Federal anunciou a retomada da emissão de passaportes

Inflação para o consumidor avança na segunda semana de julho

Os dados foram divulgados nesta segunda-feira pela FGV. (Foto: Banco de Dados)

O IPC-S (Índice de Preços ao Consumidor – Semanal) apresentou variação de -0,05% na segunda semana de julho, 0,13 ponto percentual acima da taxa registrada na semana anterior, informou nesta segunda-feira (17) a FGV (Fundação Getulio Vargas).

Nesta apuração, três das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram acréscimo em suas taxas de variação. A maior contribuição partiu do grupo habitação (-0,29% para 0,17%). Nessa classe de despesa, cabe mencionar o comportamento do item tarifa de eletricidade residencial, cuja taxa passou de -3,98% para -0,72%.

Também registraram acréscimo em suas taxas de variação os grupos: educação, leitura e recreação (0,25% para 0,49%) e comunicação (-0,06% para 0,14%). Nessas classes de despesa, vale destacar o comportamento dos itens: salas de espetáculo (0,15% para 1,42%) e pacotes de telefonia fixa e internet (-0,39% para 0,14%).

Em contrapartida, os grupos transportes (-0,51% para -0,55%), vestuário (0,51% para 0,34%), despesas diversas (0,24% para 0,13%) e saúde e cuidados pessoais (0,32% para 0,31%) apresentaram decréscimo em suas taxas de variação. Nessas classes de despesa, as maiores contribuições partiram dos itens: seguro facultativo para veículo (0,99% para 0,81%), roupas (0,59% para 0,21%), cartório (0,96% para 0,39%) e artigos de higiene e cuidado pessoal (-0,08% para -0,19%).

O grupo alimentação repetiu a taxa de variação registrada na última apuração, -0,44%. As principais influências em sentido ascendente e descendente partiram dos itens: frutas (-4,65% para -3,96%) e laticínios (-0,33% para -0,75%).

IGP-10

O IGP-10 (Índice Geral de Preços – 10) variou -0,84% em julho. A taxa apurada em junho foi de -0,62%. Em julho de 2016, a variação foi de 1,06%. A taxa acumulada em 2017, até julho, é de -2,25%. Em 12 meses, o IGP-10 registrou taxa de -1,79%. O índice é calculado com base nos preços coletados entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência.

O IPA (Índice de Preços ao Produtor Amplo) variou -1,32% em julho. Em junho, a variação foi de -1,17%. Os bens finais registraram taxa de variação de -1,12%, em julho, ante 0,16%, em junho. O principal responsável por esse movimento foi o subgrupo alimentos in natura, cuja taxa passou de 1,34% para -4,58%.

O IPC (Índice de Preços ao Consumidor) registrou variação de -0,17%, em julho, ante 0,21%, em junho. Seis das oito classes de despesa componentes do índice registraram decréscimo em suas taxas de variação, com destaque para o grupo habitação (0,83% para -0,16%). Nesta classe de despesa, vale destacar o comportamento do item tarifa de eletricidade residencial, cuja taxa passou de 4,76% para -2,79%.

O INCC (Índice Nacional de Custo da Construção) registrou, em julho, taxa de variação de 0,62%, ante 0,92% no mês anterior. O índice relativo a materiais, equipamentos e serviços registrou variação de 0,10%. No mês anterior, a taxa havia sido de -0,09%. O índice que representa o custo da mão de obra variou 1,04%

Comentários