Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Jogos de hoje definem próximo adversário do Brasil na Copa feminina

Jeff Bezos, dono da Amazon, diz que vai enviar uma nave espacial para a Lua

Jeff Bezos durante apresentação do módulo. (Foto: Reprodução/Instagram)

Jeff Bezos, dono da Amazon, disse na quinta-feira (9) que vai enviar uma missão à Lua. O empresário apresentou o módulo lunar Blue Moon em evento realizado em Washington.

Bezos afirmou que sua empresa espacial, a Blue Origin, vai enviar o módulo do tamanho de uma pequena casa, capaz de transportar quatro sondas exploradoras, para a exploração fora da Terra.

Bezos afirmou que sua empresa espacial, a Blue Origin, vai enviar o módulo do tamanho de uma pequena casa, capaz de transportar quatro sondas exploradoras, para a exploração fora da Terra.

“É hora de voltar para a lua. Desta vez para ficar”, afirmou Jeff Bezos.

Bezos tem enfrentado divergências com o presidente Donald Trump em várias questões relacionadas à Amazon. Mas disse, com relação ao cronograma da administração Trump para retornar à Lua: “Adoro isso. É a coisa certa a fazer.”

A Lua sempre foi tema central dos sonhos espaciais de Bezos, assim como para seu ex-professor, o físico de Princeton Gerard O’Neill. O’Neill, um iconoclasta falecido em 1992, que imaginou um futuro com milhões de humanos vivendo no espaço dentro de gigantescos cilindros espaciais em órbita, cultivando alimentos e aproveitando a energia do Sol. O físico teorizou que a Lua, um repositório de matérias-primas e livre da atmosfera e forças gravitacionais punitivas da Terra, poderia ser o palco para a construção e lançamento comercial de tais habitats.

Este foco no satélite da Terra como a maneira mais eficaz de começar a colonizar o espaço coloca Bezos à parte do bilionário Elon Musk, que vê a colonização de Marte como o melhor “Plano B” da humanidade. Bezos apelidou esse tipo de pensamento de “chauvinismo planetário”. Seus planos para uma aterrissagem lunar incluiu críticas naqueles que prefere apontar para Marte. “Ida e volta na ordem dos anos”, dizia um slide com uma imagem do planeta vermelho. “Nenhuma comunicação em tempo real.”

Passos de tartaruga

O mascote da Blue Origin é uma tartaruga, e, de forma fiel, o progresso da empresa tem sido notoriamente mais lento do que no SpaceX de Musk, dono da Tesla. Os foguetes Falcon 9, da SpaceX, completaram mais de 70 missões, colocando satélites em órbita e transportando suprimentos para a Estação Espacial Internacional.

Já o foguete orbital de dois estágios da Blue, apelidado de New Glenn, não está previsto para o lançamento até 2021. O primeiro estágio, segundo Bezos, foi projetado para ser reutilizado 25 vezes. Um foguete reutilizável muito menor, o New Shepard, foi projetado para levar seis turistas pagantes ao espaço por alguns minutos de ausência de peso. Essas missões, disse Bezos, devem começar no final deste ano.

A Blue Origin convidou algumas dúzias de crianças, que Bezos disse serem membros inaugurais de um novo “Clube para o Futuro”, com o objetivo de “inspirar os jovens a construir o futuro da vida no espaço”.

“As crianças daqui e seus filhos e netos construirão essas colônias. O trabalho da minha geração é construir a infraestrutura para que eles possam seguir adiante. Vamos construir um caminho para o espaço”, disse Bezos ao público. “A partir daí, coisas incríveis irão acontecer. Então você verá a criatividade empreendedora. Então você verá os empreendedores do espaço iniciarem empresas em seus dormitórios. Isso não pode acontecer hoje.”

Primeira mulher na Lua

Em março deste ano o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, anunciou que a política oficial americana quer enviar astronautas americanos à Lua nos próximos cinco anos – e enviar, principalmente, a primeira mulher até o satélite.

“Por ordem do presidente, a política oficial deste governo e dos Estados Unidos é levar astronautas americanos à lua nos próximos cinco anos”, afirmou Pence durante discurso em Huntsville, no Alabama.

“A primeira mulher e o próximo homem na Lua serão astronautas americanos, lançados por foguetes americanos, do solo americano”, enfatizou.

Inicialmente, a data marcada para o retorno ao satélite natural da Terra era 2028, mas o governo de Donald Trump expressou frustração com os atrasos e os excessos orçamentários do programa da Nasa para a construção do próximo foguete SLS. Por isso, o primeiro voo foi reprogramado recentemente para 2021.

Durante o discurso no Alabama, o vice-presidente atacou a agência espacial, criticou sua “inércia burocrática” e pediu que ela “renove seu entusiasmo”.

Além disso, ameaçou confiar futuras missões a empresas privadas, caso a Nasa não estivesse pronta a tempo.

“Se os foguetes privados são a única maneira de trazer os astronautas americanos de volta à Lua em cinco anos, eles irão em foguetes privados”, disse ele.

O diretor da Nasa, Jim Bridenstine, disse que provavelmente será uma mulher a próxima a pisar em solo lunar. Nenhum humano chega ao satélite terrestre desde 1972.

Deixe seu comentário: