Últimas Notícias > Notícias > Brasil > O governo federal estuda cobrar impostos de quem presta serviços para Uber, 99, Cabify e outras plataformas

Jornalista encontrado morto em Porto Alegre não estaria em situação de rua, dizem amigos

(Foto: Reprodução/Facebook)

Foi identificado como Cleber Luis Costa da Silva, o homem encontrado morto em Porto Alegre na madrugada de sexta-feira (5). Localizado pela Brigada Militar na rua Duque de Caxias, no Centro Histórico, havia boatos de que a causa da morte teria sido o frio. No entanto, conforme o comandante do 9º BPM, tenente-coronel Luciano Moritz, foi atestado pela SAMU morte por problema cardíaco.

Cleber, que completaria 51 anos nos próximos dias, era jornalista e estava desempregado. O corpo foi velado e sepultado neste sábado (6) no Cemitério São Miguel e Almas. Após informações de que o homem estaria em situação de rua, os amigos Silvio Ribeiro e Adilson Di e Serginho Neglia postaram em seus perfis do Facebook textos em que esclareciam que a família de Cleber disse que ele morava com um irmão, no morro da Embratel, na capital.

De origem humilde, a família do jornalista não possuía recursos para arcar com as despesas. Silvio foi um dos amigos e ex-colegas que fizeram uma “vaquinha” para que Cleber não fosse enterrado como indigente.

Formado pela Ulbra, Cleber trabalhou em jornais de bairro e do comércio. Também idealizou “Futebol Feminino em Revista”. Ele não era casado e nem tinha filhos.