Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Oito mulheres com “corpo deformado e dores” denunciam cirurgião plástico em Brasília

Laghetto Hotéis inicia celebração de 30 anos

Plínio Ghisleni e Ronald Spieker. (Foto Divulgação)

A rede Laghetto de Hotéis está iniciando a celebração de seus 30 anos de existência, que prevê o reforço no posicionamento do conceito de Paixão em Servir através de vídeos e peças publicitárias, ações sociais e uma festa no dia 26 de outubro em Gramado (RS), cidade onde nasceu.

Quem olha hoje o tamanho da rede Laghetto, com 17 unidades e mais de dois mil apartamentos, não imagina que ela nasceu em 1989 com uma unidade de apenas 42 quartos (hoje são 101), fruto das economias de dois corretores de imóveis e um professor universitário. Plínio Ghisleni, José Paulo Ghisleni e Ronald Spieker ergueram o primeiro hotel e buscaram no Lago Joaquina Rita Bier – que fica em frente, a inspiração para o nome em italiano. Na época, a rede hoteleira gramadense era 15% do que é hoje, relembra Plínio.

O segundo hotel só foi surgir 12 anos depois. Ele nasceu na estrada que liga Gramado a Canela e foi vendido em seguida para o SESC. Com a venda, os empreendedores ganharam fôlego financeiro para outros voos, e, em 2008, surgia de fato a segunda unidade, o Toscana. Em seguida veio o Siena e logo depois o Prêmio, e a onda de crescimento não parou mais.

A empresa, então, começou a se repaginar e redesenhou a marca Laghetto, criando as bandeiras Vivace, Allegro, Stilo, Viverone e Vertice para distinguir as diferentes opções de conforto. Partiu para a primeira unidade fora de Gramado, o Viverone Bento Gonçalves, para chegar a Porto Alegre em 2013 com o Viverone Moinhos.

Em 2017, a bandeira Laghetto abriu uma unidade na Barra Barra da Tijuca (RJ), além de abrir a segunda unidade na capital gaúcha, o Vertice Manhattan. Um ano depois, inaugurou mais um hotel em Gramado, o terceiro em Porto Alegre, uma operação em Rio Grande (RS) e outra em Itapema (SC).

Dos três fundadores da Laghetto, José Paulo partiu para novas atividades em 1998 Ronald faleceu em 2005, e Plínio continua firme na direção, ao lado de Ronald Onofrio Spieker (filho de Ronald). A dupla planeja dobrar de tamanho nos próximos 10 anos. “Esta é a master meta, porém, teremos alguns degraus a galgar neste tempo, como a criação de infraestrutura para suportar este crescimento e para agilizar canais de vendas e acesso às informações”, afirma Plínio. Até a Laghetto prevê que um total de 20 hotéis estejam em operação.

Paralelamente ao crescimento, a rede vai investindo na melhoria de sua estrutura. Este cuidado já vem sendo percebido entre os colaboradores. Recentemente, a Laghetto conquistou o selo do Great Place to Work, como excelente lugar para trabalhar. E pode concorrer neste ano em dois novos segmentos da GPTW: 150 melhores empresas para trabalhar do país e melhor empresa de hotelaria para trabalhar.

Além disso, os colaboradores criaram recentemente um Comitê de Ações Sociais para atuar nas cidades onde atua. Trata-se de um trabalho voluntário da equipe de colaboradores, que reúne uma pessoa de cada setor, e que já tem uma intensa programação de ações nas localidades onde a Laghetto está presente.

Deixe seu comentário: