Últimas Notícias > CAD1 > Com dúvidas e treino fechado, Grêmio encerra preparação para encarar o Athlético

Leite participa de lançamento do primeiro chip brasileiro para Internet das Coisas (IoT)

Eduardo Leite acompanhou cerimônia de lançamento nesta terça-feira (18) (Foto: Divulgação/ Twitter)

O primeiro chip para Internet das Coisas (IoT) desenvolvido e produzido no Brasil, foi lançado nesta terça-feita (18) pela HT Micron, com presença do governador Eduardo Leite, na Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), em São Leopoldo.

A HT Micron é resultado de um acordo comercial entre a sul-coreana Hana Micron e a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), além de acionistas brasileiros. Neste ano, a empresa completa uma década na sede Tecnosinos. A nova tecnologia foi criada em parceria com a ST Microeletronics e o Instituto Tecnológico de Semicondutores da Unisinos.

Essa nova tecnologia torna possível o desenvolvimento de chips específicos sem a necessidade de volumes de produção altos, permitindo que todas as tecnologias de encapsulamento avançado sejam integradas com custos reduzidos. É possível reunir em um só chip as principais funções de dispositivos de IoT. O novo chip criado é denominado System-in-Package (SIP), e poderá ser utilizado em produtos para localização de pessoas, cargas, medicação remota de gás e água, iluminação pública, entre outras.

O que é Internet das Coisas?

É o modo como os objetos físicos estão conectados e se comunicando entre si e com o usuário, através de sensores inteligentes e softwares que transmitem dados para uma rede. É composto apenas por sensores e dispositivos inteligentes.

Pra que serve?

Viabiliza a conexão de uma grande gama de dispositivos e equipamentos. Existem países que já usam a IoT para auxiliar no funcionamento da cidade. Em Barcelona, na Espanha, por exemplo, o uso da água para irrigação em jardins e fontes públicas já é controlado digitalmente, evitando desperdícios. Além disso, existe uma sistema de iluminação pública, que tem postes dotados de sensores de presença e usados como roteadores para conexão Wi-Fi. Na Califórnia, nos Estados Unidos, a tecnologia já é usada no campo. Depois de anos de uma seca histórica que prejudicou os agricultores locais no início da década, drones que fazem imagens aéreas e sensores de qualidade de solo ajudam os produtores a identificar melhores locais para o plantio das safras. Outro exemplo do uso da tecnologia, é para o campo da medicina. Alguns países usam dispositivos nas roupas que medem batimentos cardíacos, pressão sanguínea e pulso dos pacientes, deixando os médicos informados o tempo todo.

Em evento, governador Eduardo Leite exaltou a relevância do parque tecnológico e do trabalho realizado no setor de inovação e tecnologia. “O RS é reconhecido pelo pioneirismo em muitas áreas. Temos de nos orgulhar do nosso passado, mas olharmos para frente, para construirmos novas façanhas. O futuro é construído no presente, com mão de obra qualificada, o maior ativo que uma sociedade pode ter”, disse.

 

Deixe seu comentário: