Últimas Notícias > Notícias > Mundo > O Uruguai tem falta de maconha: a produção não é suficiente para abastecer os mais de 47 mil consumidores registrados

Líderes de facções criminosas devem voltar ao sistema prisional gaúcho

Operação transferiu 27 presos para unidade federais, há dois anos. (Foto: Rodrigo Ziebell / Divulgação SSP)

Detentos que estavam em presídios federais devem retornar ao sistema prisional gaúcho. A decisão foi romada nas Varas de Execuções Criminais (VECs) de Novo Hamburgo e de Canoas, nesta terça-feira (16). Os três presos que voltarão ao estado são os líderes de facções criminosas Anderson Bueno Martins, conhecido como Fofo, de 43 anos; Leonardo Ramos de Souza, de alcunha Peixe, de 37 anos; e Juliano Biron da Silva, chamado de Biron, de 36 anos.

O Ministério Público deve recorrer das decisões sobre os homens que possuem condenações por crimes como homicídio, latrocínio e tráfico.

As mesmas varas criminais já havia determinado que outros dos detentos fossem retirados de presídios federais, no dia 10 de julho. Eram eles Wagner Nunes Rodrigues, conhecido como Minhoquinha, de 43 anos, e  Risclei Bueno Martins, chamado de Pelico, de 42 anos.

Uma operação chamada Pulso Firme, realizada em 2017, transferiu 27 presos a presídios federais. Todos eram considerados de alta periculosidade e 10 já retornaram ao estado.

Deixe seu comentário: