Últimas Notícias > Colunistas > De quem é o meio bilhão?

Lobby mineral

(Foto: EBC)

Lobistas da mineradora Vale começam a se movimentar, por meio do senador Fernando Bezerra (MDB-PE) – neoaliado do governo – e de contatos no Ministério de Minas e Energia, para tentar emplacar a nomeação do novo procurador da ANM (Agência Nacional de Mineração). Também visam amenizar as vindouras milionárias multas e as sanções referentes aos casos de Mariana (Samarco) e Brumadinho (Vale).

O nome escolhido pela mineradora é do advogado da União Maurycio Corrêa, cedido ao Ministério. Mas há uma ferrenha resistência ao indicado por parte dos diretores da própria Agência.

Enlameou

O lobby para o novo procurador da ANM criou animosidades entre a Vale e o ministro Almirante Bento Albuquerque. Ele teme ingerências.

Grande família

Corrêa é apadrinhado também por Alexandre Vidigal, secretário de Mineração da pasta federal. Ontem, a Coluna tentou contato com os citados, sem sucesso.

Segurança máxima

O presídio federal de Porto Velho (RO) onde ficará preso o líder do PCC, Marcola, é tão seguro que, certa vez, o então ministro da Justiça, José Cardozo, foi revistado e teve que tirar os sapatos para entrar.

Olha o ferro!

Diretor-executivo de Ferrosos da Vale, Peter Poppinga diz a funcionários que pode parar a produção de três minas com altos custos em Minas Gerais. É a crise da baixa do minério de ferro no mercado. E daí? Daí que Poppinga era diretor da Samarco quando ocorreu o desastre da barragem em Mariana. Esse pessoal muda de mina, mas não perde o ouro. O ferro fica com… melhor não citar.

Publicidade zero

Toda a publicidade da reforma da Previdência deverá ser feita pelas redes sociais, com custo zero aos cofres públicos. Além do texto da reforma, que chegará ao Congresso Nacional nos próximos dias, discute-se nos gabinetes do Planalto a estratégia de divulgação da proposta pelos canais virtuais-oficiais do governo.

Sem custos

O lançamento do slogan “Pátria Amada Brasil” também foi feito nas redes sociais e, de acordo com o Palácio do Planalto, houve economia de mais de R$ 1,4 milhão. Já a gestão do então presidente Michel Temer gastou quase R$ 110 milhões em publicidade na fracassada tentativa de aprovar a reforma da Previdência.

Campanha da Fraternidade

Para este ano, a CNBB (Conferência Nacional os Bispos do Brasil) escolheu como tema da Campanha da Fraternidade “Libertar pelo Direito e pela Justiça”. O lançamento será feito na Semana Santa. Como a Igreja tem simpatia de décadas pelo PT – e vice-versa – o governo desconfia de referência ao ex-presidente Lula. Não tem: A questão é social e só, garantem padres.

Operação Lava-Jato

O Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional do Ministério da Justiça solicitou ao governo dos Estados Unidos o bloqueio de US$ 124 milhões da Vantage Drilling. A empresa norte-americana de perfuração é acusada de pagar US$ 31 milhões em propina a ex-dirigentes da Petrobras em um contrato de afretamento do navio-sonda Titanium Explorer.

É oficial

A fraude no contrato do navio-sonda foi relatada por ex-dirigentes da empresa que participaram do esquema e confirmada por auditoria interna da própria estatal. O pedido também é assinado pela AGU (Advocacia-Geral da União).

Intervenção

O senador Telmário Motta (Pros-RR) finaliza o texto da representação ao MPF (Ministério Público Federal) com pedido de investigação sobre o destino dos recursos para a intervenção militar em Roraima. Ele desconfia que a medida foi um pretexto para corrupção. Vai acionar o TCU (Tribunal de Constas da União) e o Ministério da Justiça.

Leite forte

O deputado federal Laércio Oliveira (PP-SE) discutiu na FPA (Frente Parlamentar Agropecuária) as dificuldades dos produtores de leite com a derrubada das barreiras de importação. “Técnicos dos Ministérios da Agricultura e da Fazenda, da FPA e nós, parlamentares, fizemos um encaminhamento ao governo, que será adotado: a salvaguarda de 14% na taxação sobre o leite importado, que é de 28%, totalizando uma proteção de 42%.

Leite azedo

O parlamentar mencionou que não há livre concorrência porque o leite europeu recebe subsídios do governo, “o que torna a concorrência desleal e inviabiliza os produtores brasileiros, especialmente os pequenos e médios”.

ESPLANADEIRA

Paulo Octávio comemorou ontem o seu aniversário com a tradição de inaugurar mais um empreendimento. Foi o residencial Baltazar Mendonça, na Asa Norte. Quando lança um edifício, o ex-corretor tem o hábito, de décadas, de ser o primeiro a se sentar à mesa para oferecer um apartamento.

Deixe seu comentário: