Últimas Notícias > CAD1 > O campeão do Brasileirão vai receber 18 milhões de reais de premiação da CBF

Lula pé no chão

Partido já pensa em outro nome para a disputa caso Lula não possa concorrer. (Foto: Divulgação)

Condenado em 1ª instância na Justiça Federal e com risco de ser limado da disputa presidencial, Lula da Silva não se intimidou e preparou reedição da Caravana da Cidadania pelo Nordeste. Ele está pé no chão, literalmente. Desdenhou de jatinhos e vai percorrer de carro centenas de quilômetros da Bahia ao Maranhão até o fim do mês. É campanha pura, com comícios disfarçados em “Atos” em capitais e interior. Vai almoçar em boteco de estrada e em ônibus, e em alguns trechos percorrer até 500 km por dia.

Subindo o sertão

A agenda começa em Feira de Santana, Bahia, dia 17; depois Cruz das Almas (18), São Francisco do Conde (19) e Salvador. Dia 20 em Estância e Aracaju. E vai subindo.

Seu doutor

No caminho, Lula da Silva vai ser homenageado com nada menos que 4 títulos de Doutor Honoris Causa, alguns de universidades que fundou como presidente do Brasil.

Povo indiferente

A eleição para governador no Amazonas bateu na trave. Quase 1,5 milhão de eleitores – metade do eleitorado – deu de ombros: 850 mil votos inválidos e 569 mil abstenções.

Rombo estrutural

A Previ, o fundo de pensão do BB, entrou na Justiça contra a Odebrecht por causa de problemas em obras no resort Costa do Sauípe (BA), onde são sócios. O problema é que a ação demorou muito tempo a ser peticionada, e ainda protocolada no foro errado – mostrou a empreiteira. Quando os advogados do fundo entraram no foro certo… o prazo prescreveu…

Placa histórica

Cantamos a bola de que o quiprocó ia dar ‘cadeia’. O MP Federal da Paraíba abriu investigação: como a placa da nova sede foi grafada com “Edifícil”? A assessoria informa que a arte saiu correta para a gráfica – que entregou ontem a placa corrigida.

Alô STF…

Roberto Jefferson vai entrar na Frente Nacional Contra a Liberação da Maconha e da Cocaína, iniciativa do deputado estadual Campos Machado (SP). O grupo apartidário tenta pressionar os ministros do STF sobre o julgamento da inconstitucionalidade do artigo 28 da lei 11.343. O placar atual é 3 a 0 a favor da descriminalização.

…Te cuida

Dentre as ações, é articulada uma instrumentalização de prefeitos e vereadores para enviarem moções de repúdio ao Supremo.

Tribunal do Povo

Ofício 583/2017 do procurador Alexandre Schneider, assinado digitalmente, chegou à procuradora-chefe do MPF no Paraná, Paula Conti Thá, avisando que advogados de ‘lavajatianos’ não promover dia 11 ato em Curitiba simulando um ‘Tribunal do Povo – O Julgamento da Lava-Jato’, com o intuito de confundir a opinião popular.

É o jogo

Citado no documento, o advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, foi consultado, reconhece que haverá sim o evento, mas não entende a posição do procurador e conclamou os advogados a defenderem o direito do contraditório. Não encontramos o procurador Schneider até o fechamento da Coluna.

Grita geral

O Unacon Sindical acionou o Ministério do Planejamento para que explique o boato (ou verdade) de que o Governo vai adiar o pagamento das parcelas de 2018 e 2019 do reajuste salarial dos servidores federais. Aponta crime de responsabilidade.

Gleisi

A Coluna errou com a senadora Gleisi (PT-PR) e pede desculpas. Não existe o Twitter – armação de inimigos – em que ela debocha de adversários e vangloria Maduro, da Venezuela. O fake circula nos grupos de WhatsApp até de petistas do Congresso.

Lacerda

A Coluna fez um tutu azedo com os personagens na edição da nota. Trocamos a ordem dos nomes. Ao contrário do publicado, Marcio Lacerda mantém o comando do diretório municipal do PSB, e desbancou o grupo de Júlio Delgado.

Raios x da pedofilia

O delegado da PF Clayton Bezerra lança em Brasília, na Academia Nacional de Polícia, o livro ‘Pedofilia, repressão aos crimes de violência sexual contra crianças e adolescentes’ (Ed. Mallet, 246 páginas). Com 8 volumes, o livro foi escrito em parceria com outros delegados e advogados com prefácio do senador Magno Malta.

Ponto Final

Não adianta trocar o nome do partido se o problema é o ser humano – o eleitor e o político.

Deixe seu comentário: