Últimas Notícias > Notícias > Brasil > A inflação para o consumidor avançou na terceira semana de junho

Mais de 12 milhões de brasileiros têm até sexta para tomar a vacina contra a gripe

A campanha de vacinação contra a gripe atingiu 76,1% do público-alvo. (Foto: Divulgação)

A campanha de vacinação contra a gripe no Brasil atingiu 76,1% do público-alvo até segunda-feira (11), informou o Ministério da Saúde nesta terça-feira (12). A meta da campanha é vacinar 54,4 milhões de brasileiros, mas faltam 12,7 milhões para que a meta seja atingida.

A expectativa é que esses brasileiros se vacinem até sexta-feira (15), quando termina o prazo para a imunização que começou no dia 23 de abril.

A vacina contra a gripe é indicada por pessoas em maior risco de transmissão (como profissionais da saúde) ou pessoas com maior possibilidade de desenvolver complicações mais graves (como é o caso de idosos).

O governo informa que, caso haja disponibilidade de vacinas nos Estados e municípios, a imunização poderá ser ampliada para crianças de 5 a 9 anos de idade e adultos de 50 a 59 anos.

Porto Alegre

Na segunda-feira (11), a prefeitura de Porto Alegre ampliou a vacinação contra a gripe para toda a população, mantendo como prioridade os públicos-alvo, com ênfase para crianças e gestantes. Desde o início da campanha de imunização contra a gripe, em abril, foram vacinadas na capital gaúcha 72,06% das pessoas que integram os grupos prioritários estabelecidos pelo Ministério da Saúde.

De acordo com o vacinômetro do SIPNI (Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações), 289.018 doses foram administradas nos grupos prioritários em Porto Alegre. Os grupos com menor percentual de imunizados são crianças (47,80%) e gestantes (49,78%). Os demais superaram 60%: professores (70,97%), trabalhadores da saúde (71,53%), puérperas (76,45%), idosos (82,25%) e indígenas (86,61%). A meta estipulada pelo Ministério da Saúde é de imunização de 90% de cada grupo prioritário.

Como a vacina precisa de no mínimo 15 dias para surtir proteção no organismo, a indicação é de que as pessoas sejam levadas ou se dirijam às unidades de saúde com a maior brevidade possível. A SMS (Secretaria Municipal da Saúde) mantém o atendimento em todas as salas de vacina, com horários diferenciados, de acordo com o funcionamento das unidades, sempre de segunda a sexta-feira. Nas unidades de saúde, o atendimento vai das 8h às 17h; nas unidades São Carlos e Tristeza e no Centro de Saúde Modelo, das 8h às 22h; e na Clínica de Saúde da Família da Restinga, das 8h às 20h.

Os gestores da secretaria enfatizam a importância da vacinação, especialmente nos grupos de risco elencados pelo Ministério da Saúde em 2018, pois essas pessoas são as mais suscetíveis às complicações da influenza. Com a imunização, caem os índices das complicações, os números de internações hospitalares, de casos da doença e, consequentemente, dos óbitos decorrentes da gripe.

Rio Grande do Sul

Também a partir desta segunda-feira, a Secretaria Estadual da Saúde ampliou as faixas etárias da vacinação contra a gripe para crianças menores de 10 anos e adultos a partir dos 50 anos no Rio Grande do Sul. A medida é uma recomendação aos municípios e foi adotada em função da concentração de casos nessas idades.

Dos 44 confirmados de Influenza neste ano no Estado, oito são em crianças entre os 5 e 9 anos e nove entre pessoas entre 50 e 59 anos, que antes não estavam incluídas nos grupos prioritários. Até o momento, mais de 2,7 milhões de pessoas já se imunizaram no RS, o que corresponde a uma cobertura de 76% dos grupos prioritários. A campanha terminaria no dia 1º deste mês, mas foi prorrogada até o dia 15 deste mês.

Aos municípios, a orientação da secretaria é que, além da ampliação das faixas etárias, se mantenha a busca da meta de 90% de cobertura vacinal para os demais grupos. A secretaria recomenda, especialmente, reforço na captação entre as crianças até os 5 anos de idade e em gestantes. Para isso, a orientação é que sejam realizadas ações de vacinação em escolas e creches, estratégias no pré-natal e busca ativa pelas equipes da Estratégia de Saúde da Família.

Deixe seu comentário: