Últimas Notícias > CAD1 > Jogando fora de casa, o Inter enfrenta nesta quarta-feira o Bahia com o desafio de manter no segundo turno do Brasileirão a boa campanha colorada

Mais de 91 mil motoristas foram multados pela EPTC em Porto Alegre por excesso de velocidade só no primeiro semestre

EPTC fará uma ação educativa nesta segunda-feira. (Foto: Luciano Lanes/PMPA)

No primeiro semestre deste ano, Porto Alegre teve 91.603 motoristas autuados por excesso de velocidade no trânsito, segundo dados da Equipe de Controle de Infrações da EPTC (Empresa Pública de Transporte e Circulação). Foi o maior motivo de multas de trânsito na cidade no período. Em seguida vem o estacionamento em local proibido, com 32.313 autuações.

A questão do celular ocupa o terceiro lugar no ranking de infrações em Porto Alegre, com 23.105 multas registradas. Dirigir falando ao celular é proibido pelo Código de Trânsito Brasileiro, artigo 252 VI, infração média, quatro pontos na carteira, multa de R$ 130,16. Pode ser infração gravíssima no caso do manuseio/digitação de celular, equivalente a sete pontos na carteira, multa de R$ 293,47.

Segundo dados da Coordenação de Informações de Trânsito da EPTC, de 1º de janeiro a 31 de julho foram registrados 469 casos de atropelamentos nas ruas da Capital, com 500 pessoas feridas, sendo 18 vítimas fatais. Em julho, ocorreram 76 atropelamentos, com 85 pessoas feridas e uma morte.

Entre os 500 feridos desde o início do ano,159 eram jovens, de até 35 anos; 141 pessoas entre 36 e 59 anos; e 110 idosos (mais de 60 anos). Não houve informação sobre a idade dos demais feridos. As 18 vítimas fatais por atropelamentos eram das seguintes faixas etárias: uma entre 11 e 17 anos; uma entre 26 e 35 anos; duas entre 36 e 45; quatro entre 46 e 59; e dez com mais de 60 anos.

A prefeitura de Porto Alegre, por meio da EPTC, programou para esta segunda-feira (13), das 15h às 16h, uma ação educativa na faixa não semaforizada localizada na esquina da rua Dr. Flores com rua dos Andradas, no Centro Histórico. A atividade, a ser desenvolvida pela Coordenação de Educação para a Mobilidade (CEM), terá seu foco direcionado à segurança dos pedestres. Serão realizadas abordagens e distribuição de material informativo de alerta sobre o uso inadequado do celular no deslocamento pela cidade, com riscos de atropelamentos em razão da distração.

As ações de educação são focadas na mudança do comportamento das pessoas, por isso as ações em escolas são importantes, mas também são norteadas pela análise das informações dos acidentes de trânsito. “Usamos os dados para definir quais os públicos que devemos trabalhar mais. Com esses dados, elaboramos na EPTC um planejamento anual com temas específicos para cada um dos meses do ano”, explica a coordenadora da CEM, Fabiana Kruse.

Deixe seu comentário: