Últimas Notícias > Capa – Você viu > A Alemanha aprovou a inclusão de um “terceiro gênero” nas certidões de nascimento

O supermercado Carrefour de Osasco fechou as portas nesse sábado, por causa de uma manifestação em repúdio pela morte de cão agredido por segurança

Segundo a empresa, a área de vendas foi fechada mas o estacionamento ficou liberado para os manifestantes. (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

O supermercado Carrefour de Osasco (SP) fechou as portas nesse sábado, por causa de uma manifestação agendada para o local, em repúdio pela morte da cadela “Manchinha” após ser agredida por um segurança da loja, no último dia 30. De acordo com a empresa, a área de vendas foi fechada às 14h mas o estacionamento permaneceu liberado para os manifestantes.

Em um ato convocado nas redes sociais, até às 15h mais de 12 mil pessoas haviam sinalizado que compareceriam e 55 mil demonstraram interesse. O convite para o protesto pediu às pessoas que usassem uma peça de roupa na cor preta, e que levassem balões, flores e velas, em sinal de luto contra a morte do animal.

Em depoimento prestado na Delegacia do Meio Ambiente na quinta-feira, o segurança acusado de agredir e causar a morte do cachorro confessou à polícia ter golpeado o animal com uma barra metálica e se disse arrependido. Ele alegou não ter notado que havia ferido o animal e que só teria se dado conta quando viu o sangue no chão. Também disse ter buscado ajuda e ligado de seu próprio celular para um centro de zoonoses na região.

O segurança foi indiciado pelo artigo 32 da Lei de Crimes Ambientais, por praticar abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais. A pena prevista é de 3 meses a 1 ano de prisão, além de multa, que pode ser aumentada em até um terço por causa da morte. Ele vai responder em liberdade, porque o crime é considerado de baixo potencial ofensivo. Em nota, a Secretaria da Segurança Pública afirmou que o caso ainda é investigado.

Famosos se manifestaram nas redes sociais e pediram justiça pela morte do animal. O apresentador da Globo Luciano Huck publicou uma caricatura de Manchinha. “Chocado. É muita crueldade”, disse.

A apresentadora do Multishow Tatá Werneck também mostrou indignação ao comentar a notícia nas redes sociais e fez uma sugestão à empresa: “Espero que o Carrefour tome a iniciativa de, a partir de hoje, salvar milhões de cães e gatos abandonados. Não sei como os responsáveis conseguem dormir sabendo do mal que fizeram”.

Sem citar o Carrefour, Whindersson Nunes fez um texto genérico sobre os cães. “Eles não falam, não conseguem dizer ‘moço, eu só queria comer’, nem ‘eu só queria brincar’, mas sempre dá para ver nos olhinhos deles o que eles querem, quem tem um bom coração entende (sic)”, escreveu na legenda de uma foto em que aparece com um cachorrinho no ombro.

Porém, antes da publicação, o youtuber saiu em defesa do supermercado. “Vale lembrar que não é empresa inteira que tem culpa, aconteceu no Carrefour de Osasco, um cachorro foi morto a pauladas por um segurança despreparado”, escreveu no perfil oficial no Twitter. A postagem gerou polêmica entre os seguidores do humorista.

Deixe seu comentário: