Últimas Notícias > Capa – Caderno 1 > Empresários recuam em onda de apoio a Bolsonaro para não se expor

Médicos vetaram a participação de Bolsonaro em debates e atos públicos até o dia 18

Segundo os médicos, o candidato não pode passar por "situações de stress". (Foto: Reprodução)

Os médicos do Hospital Albert Einstein Antonio Luiz Macedo e Leandro Echenique vetaram a participação do candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, no debate da TV Bandeirantes nesta quinta-feira (11) e em outros três embates marcados para os próximos dias. O candidato vai passar por uma nova avaliação na quinta-feira da semana que vem.

Com a decisão, também está vetada a presença de Bolsonaro nos debates da Gazeta, que aconteceria no domingo (14), da  RedeTV!, na segunda (15), e do SBT, na quarta (17).

“Achamos que não seria recomendável que ele participasse de situações de estresse, em que tivesse quer ficar sentado muito tempo e falar alto”, afirmou Macedo, pouco antes de embarcar no Aeroporto Santos Dumont em direção a São Paulo, após examinar Bolsonaro em sua casa.

Ao saber da ausência do adversário, Fernando Haddad (PT), rival do militar no segundo turno, afirmou que vai “até a uma enfermaria para fazer o debate”. “Ele falou que não quer se estressar? Vou falar docemente, nem altero a voz. Faço o que ele quiser para ele dizer o que pensa”, afirmou o petista. “Os brasileiros precisam saber a verdade.”

Vídeos liberados

De acordo com o médico que operou o candidato em São Paulo no dia 12 de setembro, o militar segue fraco e precisa fazer uma reposição de proteínas. “Ele perdeu 15 quilos, não era um homem obeso, foi perda de massa muscular, ele precisa repor”, afirmou Macedo.

Mais cedo, em frente à casa de Bolsonaro, Macedo afirmou que, após o dia 18, o candidato estaria liberado para retomar suas atividades de campanha normalmente, inclusive podendo participar de debates na televisão.

Por outro lado, os médicos do Albert Einstein liberaram Bolsonaro a continuar participando de transmissões ao vivo por meio da internet e concedendo entrevistas, como ele tem feito desde que retornou à sua casa, uma semana antes da votação no primeiro turno. “Em casa, tranquilo, não há problema. Nossa maior preocupação é o stress.”

Band

Antes de a equipe médica de Bolsonaro desautorizá-lo de participar do debate da Band, a direção de jornalismo da emissora trabalhava com a possibilidade de que o encontro pudesse ocorrer no Rio de Janeiro. No início da semana a equipe de Bolsonaro acenou com a possibilidade de o encontro ocorrer na capital fluminense, caso os médicos do candidato do PSL o proibissem de viajar de avião.

Uma equipe da Band de São Paulo foi deslocada para o Rio de Janeiro para montar o estúdio e a logística para que o debate pudesse ocorrer. A informação de que o presidenciável do PSL não participará do debate nem mesmo no Rio pegou os profissionais da emissora de surpresa.

Deixe seu comentário: