Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Os empresários já consideram a reforma da Previdência aprovada e pedem novas reformas

Menções ao “tsunami da educação” tiveram pico no Twitter após Bolsonaro chamar manifestantes de “idiotas úteis”

Em Dallas, Bolsonaro chamou os manifestantes de “idiotas úteis”. Logo depois disso, quase 38,6 mil postagens sobre o protesto que se articulava foram feitas no Twitter. (Foto: Reprodução de TV)

O protesto nacional contra o contingenciamento de recursos no MEC (Ministério da Educação), na quarta-feira (15), gerou mais de 3,1 milhões de postagens no Twitter, de acordo com a DAPP (Diretoria de Análise de Políticas Públicas) da FGV (Fundação Getúlio Vargas). O órgão identificou dois picos de menções ao chamado “tsunami da educação“. O primeiro deles aconteceu logo após serem veiculadas notícias sobre uma declaração do presidente Jair Bolsonaro.

Em Dallas, ele chamou manifestantes de “idiotas úteis”. Logo depois disso, às 13h30min, quase 38,6 mil postagens sobre o protesto que se articulava foram feitas no Twitter. O outro pico foi por volta das 20h, enquanto os protestos aconteciam nas ruas em diversas cidades do País. Foram 52,6 mil menções neste momento.

A DAPP/FGV identificou que a cidade com maior participação no debate na rede social foi Brasília , de onde partiram cerca 467,78 mil tuítes (15% das publicações), seguida de Rio de Janeiro, com 405,4 mil tuítes (13%); São Paulo ,com 343 mil tuítes (11%); Belo Horizonte , com 124,7 mil tuítes (4%); e Recife, com quase 93,6 mil tuítes (3%).

Entre as hashtags com maior repercussão no debate durante o período analisado (12h de 14 de maio a 16h de 16 de maio), estão #tsunamidaeducação, usada em 799,5 mil postagens; #15m, em 243,5 mil postagens; e #todospelaeducação, em 232,7 mil postagens. Além das menções à declaração de Bolsonaro sobre “idiotas úteis”, também se destacaram no Twitter publicações com fotos de cartazes levados pelos manifestantes às ruas e ainda posts que também citavam as flexibilizações para porte e posse de armas.

Mais declarações

“Agora educação também está deixando muito a desejar no Brasil. Você pega as provas do Pisa, que eu peguei agora, de três em três anos, de 2000 pra cá, cada vez mais ladeira abaixo”, destacou Bolsonaro na quarta-feira.

“A garotada com 15 anos de idade, da nona série, 70% não sabe a regra de três simples. Qual o futuro dessas pessoas? Qual é o futuro dessas pessoas? Falam porque tão desempregados 14 milhões, sim, mas parte deles não tem qualquer qualificação porque esse cuidado não teve nas administrações do PT ao longo de 13 anos”, disse ainda o presidente.

O porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, afirmou que a posição do presidente é que “as manifestações são legítimas e democráticas, desde que não se utilizem de violência, nem destruam o patrimônio público.”

Deixe seu comentário: