Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Bolsonaro assina decreto sobre bem-estar de animais em rodeios

Moradores e empresários de Porto Alegre se unem para recuperar prédio da Brigada Militar

Líder comunitário participou de reunião na Câmara de Vereadores. (Foto: Tonico Alvares/CMPA)

A Associação Conviver Melhor, que abrange os bairros Petrópolis e Jardim Botânico, na Zona Leste de Porto Alegre, relatou à Câmara de Vereadores o andamento de reforma que vem sendo realizada no prédio da 3ª Companhia do 11º Batalhão da BM (Brigada Militar) graças aos esforços da comunidade local.

De acordo com o presidente da entidade, Marcos Otton, a obra foi dividida em quatro etapas: recuperação predial, construção de alojamentos, troca total do sistema de encanamento, esgoto e rede elétrica, bem como a aquisição de mobiliário – esta última em fase de captação de recursos.

O líder comunitário detalhou, ainda, que o material de construção foi bancado por moradores de casas e condomínios, que se cotizaram para cobrir a despesa necessária. Já o colégio Santa Inês (na esquina da rua Felizardo com a avenida Protásio Alves) pagou a mão-de-obra, enquanto engenheiros e duas lojas de material de construção negociaram preços.

Exigência

Depois da conclusão total da revitalização do posto, a comunidade exigirá da Secretaria de Segurança Pública e realocação de um destacamento da BM para cuidar da área. Othon adiantou, ainda, que a Associação Conviver Melho faz parte de um grupo de entidades que exige a colocação de 2,5 mil PMs no policiamento da Capital, a fim de garantir um efetivo de mil homens por turno no patrulhamento ostensivo.

O líder comunitário também aproveitou para reclamar que a 3ª Companhia já recebeu oito carros novos, porém que não existe efetivo para realizar o policiamento.

Na mesma oportunidade, Alisson Martins, representando o Sindilojas, anunciou interesse em difundir a experiência da comunidade de Petrópolis, com a perspectiva de difundir as ações comunitárias para contribuir coma segurança pública. Ele defende que o importante é estabelecer orçamento colaborativo, embora seja do poder público a obrigação de garantir a atividade adequada da segurança pública.

Otton participou de reunião extraordinária da Comissão de Defesa do Consumidor, Direitos Humanos e Segurança Urbana (Cedecondh), da Câmara Municipal de Porto Alegre. O encontro foi presidido pelos vereadores Moisés Barboza (PSDB) e Comissário Rafão Oliveira (PTB). Participaram ainda os vereadores Cláudio Conceição (DEM), Lourdes Sprenger (MDB) e Marcelo Sgarbossa (PT).

Manifestações

A vereadora Lourdes Sprenger expôs o sistema adotado na sua vizinhança que consistiu na instalação do sistema eletrônico com câmeras. Com isso, como salientou ela, a sensação de segurança e a identificação de criminosos têm ajudado as polícias a prender arrombadores de casas e puxadores de automóveis.

Cláudio Conceição, por sua vez, disse que as comunidades com atitude proativa no combate à criminalidade estão de parabéns: “Ontem morreu um policial por falta de tempo de chegada do apoio e pela falta de estrutura”.

Comissário Rafão disse que irá visitar, em breve, o prédio reformado da 3ª Companhia para conhecer a experiência e tentar disseminar essa ideia na cidade. Mesmo assim não não poupou as críticas à estrutura de segurança pública do Estado por conta do PM morto com um tiro de fuzil que atravessou o colete balístico:

“O meu colete está vencido. O dele provavelmente estava vencido ou não era configurado para conter a bala de fuzil calibre 556” completou. Segundo o vereador, o governo estadual terá necessariamente que melhorar a estutura de recursos humanos e de equipamentos para o combate à criminalidade.

(Marcello Campos)

Deixe seu comentário: