Últimas Notícias > Notícias > Brasil > A Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa, aprovou remédio genérico para o tratamento do câncer de próstata

Morre, aos 53 anos, a atriz e humorista Márcia Cabrita

Márcia, que participou de "Sai de Baixo", sofria de câncer no ovário. (Foto: Divulgação)

A atriz e humorista Márcia Cabrita morreu nesta sexta-feira (10), aos 53 anos, no Rio de Janeiro. Ela sofria de câncer no ovário e precisou se afastar da novela “Novo Mundo”, exibida pela TV Globo, para cuidar da saúde. O ex-marido e pai da filha da artista, Ricardo Parente, informou que ela estava internada há dez dias no Hospital Quinta D’Or, em decorrência do agravamento da doença.

A atriz, que participou do humorístico “Sai de Baixo”, da TV Globo, teve a morte confirmada no início da madrugada. Cacau Protásio publicou uma homenagem nas redes sociais para se despedir da amiga. “Amiga, vai com Deus, eu tive o prazer, a alegria, a sorte de trabalhar,conviver, contracenar com você, eu amo você, o céu está em festa, pois está recebendo o anjo mais lindo, você fará muita falta, nos encontramos no céu. #triste #tristeza #marciacabrita #euteamo #vaicomDeus #saudades Descanse Em Paz”, escreveu ela.

Neste mês, Márcia Cabrita começaria a filmar um longa baseado em “Sai de Baixo”, em São Paulo. Escalada para “Novo Mundo”, a atriz chegou a ser substituída por Vivianne Pasmanter. A direção preferiu poupá-la de muitas gravações externas por causa de sua saúde. Mais tarde, foi anunciado que a humorista teria outro papel a partir do capítulo 60.

A última novela de Márcia na TV Globo foi “Morde & Assopra”, em 2011. Nos últimos anos, a atriz participou de programas humorísticos do Multishow, como “Vai que Cola” e “Treme, Treme”.

Filha de imigrantes portugueses, Márcia Martins Alves nasceu em Niterói, no Rio, em 20 de janeiro de 1964. Ao estudar artes cênicas, conheceu Luís Salem, seu parceiro durante toda a carreira. Com ele, fez uma peça infantil produzida por Aloísio Abreu, outro com quem sempre trabalhou.

Juntos, os três montaram o espetáculo “Subversões”, encenado no antigo Crepúsculo de Cubatão, em Copacabana. Na trilha sonora, paródias de hits como “Meu nome é Creuza”, versão de “Como uma deusa”, de Rosana. Sua primeira aparição da TV foi em 1992, na minissérie “As Noivas de Copacabana”, de Dias Gomes. Fez ainda “Sete Pecados” (2007), “Beleza Pura” (2008) e “Morde & Assopra” (2011).

Irreverente, a atriz publicava posts irreverentes em suas redes sociais. Em 2015, escreveu: “Cada vez que um famosão da TV diz que ‘o bichinho do teatro me mordeu’, nasce uma espinha interna no nariz de algum diretor de teatro mundo afora.”

 

Deixe seu comentário: