Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Carro no Brasil terá 13 novos itens obrigatórios de segurança; veja quais

Morre, aos 74 anos, o roqueiro Johnny Hallyday, conhecido como o “Elvis francês”

Johnny Hallyday lutava contra um câncer no pulmão. (Foto: Reprodução)

O roqueiro Johnny Hallyday, uma lenda na França, morreu aos 74 anos, vítima de um câncer no pulmão, anunciou na madrugada desta quarta-feira (06) a sua mulher, a atriz Laeticia Hallyday. “Johnny Hallyday partiu. Escrevo estas palavras incrédula, mas foi assim. Meu marido já não está mais aqui. Nos deixou esta noite como viveu sua vida: com valentia e dignidade”, afirmou Laeticia.

O cantor morreu em sua casa em Marnes-la-Coquette, a oeste de Paris, para onde tinha sido transferido de uma clínica em que havia ficado internado por seis dias, de acordo com o comunicado da sua esposa, divulgado através da agência France Press.

Jean-Philippe Smet, o verdadeiro nome do cantor, anunciou em março deste ano, através da sua conta do Twitter, que sofria de câncer e que estava sob tratamento médico. “Há alguns meses estou em tratamento de câncer”, afirmou a estrela francesa do rock. No dia 17 de novembro, ele foi internado com insuficiência respiratória relacionada à doença. Durante a sua internação, Hallyday recebeu uma nova sessão de quimioterapia.

No comunicado oficial, sua esposa afirmou que “até o último momento ele enfrentou a doença, dando lições de vida extraordinárias”. Johnny Hallyday, nascido em Paris, no dia 15 de junho de 1943, de pai belga e mãe francesa, foi um autêntico fenômeno de massas que lançou uma centena de discos ao longo de uma carreira de 57 anos, onde muitas das suas músicas alcançaram grandes sucessos.

Conhecido como “Elvis francês”, Johnny Hallyday sempre foi, na França, comparado e admirado como se fosse o próprio Elvis Presley. O pai do rock and roll francês e do twist ganhou 18 discos de platina desde que lançou, em 1960, seu primeiro single e seu primeiro álbum, intitulado “Hello Johnny”. Entre seus sucessos estão “Rester vivant”, “Oh, Carole” e “Noir c’est noir”, a versão francesa de “Black is black” de Los Bravos.

Polêmicas

Em 2006, o cantor causou polêmica na França ao anunciar que iria se mudar para a Bélgica para fugir dos altos impostos locais. Dois anos antes, ele precisou depor à Justiça após ter sido acusado de estupro.

Em 2004, o cantor ficou  frente a frente, em uma corte da Riviera francesa, com a mulher que o acusa de tê-la estuprado em um iate de luxo em Cannes. Na acareação, Hallyday e sua suposta vítima, Marie-Christine Vo, foram interrogados pelo magistrado juntos sobre a acusação de estupro.

Momentos depois, Hallyday disse ter ficado “magoado e ultrajado com as coisas que foram ditas” sobre ele. “Já tive o bastante. Ela precisa parar de inventar coisas”, afirmou. Hallyday negou veementemente as acusações de Vo, segundo as quais ele a teria estuprado em abril de 2001, após uma festa no iate do músico, no qual ela trabalhava como “hostess”.

Marie-Christine foi colocada frente a frente com a esposa de Hallyday, Laeticia Smet, que disse em depoimento que, nos dias seguintes ao suposto estupro, Marie-Christine não deu sinais de que algo tivesse acontecido.

Deixe seu comentário: