Últimas Notícias > Notícias > Mundo > Em cima da hora, a União Europeia e o Reino Unido chegam a um acordo sobre o Brexit

Andrea Iorio, diretor da L’Oreál, defende o crescimento sustentável e a inovação em palestra na FBV

(Foto: O Sul)
Por Isadora Aires

Andrea Iorio, diretor de inovação da L’Oreál, foi o segundo palestrante desta manhã (29) na 7ª Feira Brasileira do Varejo (FBV). O empresário, que antes de trabalhar na indústria dos cosméticos também passou por Tinder e Groupon, elencou seis competências necessárias para a transformação digital. Iorio iniciou falando sobre “flexibilidade cognitiva” e a possibilidade de desenvolvê-la, saindo da zona de conforto e buscando novas experiências.

Depois, defendeu o que chama de “código mental construtivo”, ou seja, a capacidade da mente de estar em constante desenvolvimento. “Inovação não quer dizer inventar […], inovação é executar de forma inovadora”, frisou Iorio. O diretor da L’Oreál ainda apresentou um conceito de inovação – “é a junção de três grandes áreas: desejabilidade, para que o produto seja visto; viabilidade tecnológica e viabilidade financeira, ou seja, o negócio deve ser rentável e sustentável a longo prazo”. “Não é reinventar a roda, é encontrar novas formas de fazer ela girar”, concluiu Iorio.

Trazendo a experiência de cinco anos como diretor do Tinder na América Latina, Iorio apresentou o conceito de “especialista em comportamento humano”, contando sobre todas as pesquisas que foram feitas para que o aplicativo de relacionamentos crescesse no Brasil. A quarta competência seria o “altruísmo digital”, que consiste em ajudar o ser humano através da tecnologia. De acordo com Iorio, “antes da digitalização, a média de pessoas que tínhamos por perto era de 150. Agora temos milhares de pessoas”, e, por isso, devemos nos atentar a elas.

“Pensamento crítico” também foi um conceito trazido na palestra usando como exemplo o caso do aplicativo de relacionamento. Iorio contou que o Tinder não foi o primeiro do segmento no Brasil, mas inovou em relação aos que já existiam ao pensar criticamente sobre eles e promover as mudanças no próprio produto. Por último, o palestrante frisou o “crescimento sustentável”, trazendo o exemplo do Groupon, onde trabalhou por três anos. Segundo ele, o que explica a diminuição da popularidade do e-commerce é a empresa não ter crescido de forma sustentável, por não ter priorizado o benefício do ecossistema em que se encontrava.

“Para crescer de uma forma sustentável, precisamos beneficiar o ecossistema em que estamos e priorizar a retenção ao invés da aquisição, especialmente no varejo”, afirmou Iorio. Por fim, concluiu a fala com duas frases que resumiram a apresentação. “Não é o quanto você é inteligente, mas o quanto sua mente é flexível. […] Não é o quanto nosso produto ou serviço é novo, mas o quanto ele é inovador e o crescimento dele é sustentável”, finalizou Iorio.

Em entrevista exclusiva para O Sul, o diretor da L’Oreál afirmou que “o mundo digital é fundamental para as empresas, independente do setor em que atuam, mas especialmente para o varejo, porque a jornada e os hábitos dos consumidores estão se transformando com a digitalização”. Assim, Iorio vê na quarta Revolução Industrial, que de acordo com ele, “é a transformação digital”, uma grande oportunidade de crescer e faturar de forma exponencial, ao mesmo tempo em que o mercado está mais competitivo. O empresário finalizou afirmando que a grande questão das empresas atualmente “não é se transformar ou não, mas como [fazer isso]”.

Confira a entrevista completa