Últimas Notícias > CAD1 > O Inter enfrenta, nesta quinta, o Pelotas em casa na segunda rodada do Gauchão

Na Itália, confusão em show deixou seis mortos e mais de 100 feridos

Maioria dos mortos são adolescentes. Público se assustou com um suposto disparo de spray de pimenta e correu para as saídas, que estavam fechadas. (Foto: Divulgação)

Pelo menos seis pessoas morreram na madrugada deste sábado (08), por conta de uma confusão na boate “Lanterna Azzurra”, na cidade de Corinaldo, província de Ancona, na Itália. Supostamente alguém disparou um spray de pimenta, de acordo com informações dos bombeiros, o que assustou o público que correu para as saídas.

O caso aconteceu durante show de Sfera Ebbasta, um famoso rapper italiano, popular entre adolescentes. Entre os mortos, cinco são menores de idade: três meninas, dois meninos e uma mãe que acompanhava sua filha. Segundo veículos de imprensa italianos que citam fontes da polícia, há mais de 100 feridos, 12 deles estão em estado grave.

Testemunhas disseram que começaram a correr depois que o publicou se assustou com um cheiro ácido e foram para as portas de emergência da boate, que estavam fechadas.

Na tentativa de sair do local por uma das portas que conseguiram abrir, os jovens se foram amontoando, caíram e muitos acabaram pisoteados pelos demais. Os feridos foram levados para hospitais próximos e os mais graves seguiram para Ancona, na região central de Marcas.

Os investigadores tentam descobrir o que provocou a correria e o motivo das portas de emergência não terem sido abertas, especialmente aquela onde se concentrava o maior número de jovens e onde foram encontrados os mortos.

De acordo com uma mensagem no Twitter do Corpo de Bombeiros, a correria aconteceu antes da 1h da manhã (hora local) e nas imagens divulgadas pela corporação, aparecem dezenas de jovens sendo atendidos em uma estrada e alguns deles levados em macas.

Protestos em Paris

Os primeiros “coletes amarelos” começam a se reunir nas ruas de país para os grandes protestos que são esperados neste sábado. Usuários do Twitter começaram o dia postando os primeiros vídeos dos manifestantes. É o quarto final de semana consecutivo de protestos.

A Torre Eiffel e outros pontos turísticos do centro de Paris estarão fechados neste sábado por conta das manifestações. Lojas também não abrirão as portas, por medo de saques que aconteceram em outros dias de protesto.

Cerca de 89 mil policiais foram mobilizados em todo o país. Desses, 8 mil estão alocados em Paris, para evitar as cenas da última semana, que contou com carros incendiados e com o Arco do Triunfo pixado com frases contra o presidente Emmanuel Macron.

Segundo a agência EFE, até as 5h40min de Brasília as autoridades da França já haviam detido pelo menos 177 pessoas para impedir preventivamente incidentes violentos durante as manifestações.

Confrontos

No sábado (1º), houve confronto dos manifestantes com a polícia na Avenida Champs-Elysées, em Paris, que deixou 130 feridos e mais de 400 detidos. Cerca de 136 mil saíram às ruas naquele dia.

Aumento cancelado

Os protestos foram mantidos apesar de o governo ter anunciado na quarta-feira (5) que desistiu de aumentar os impostos de combustíveis. Inicialmente, a medida seria suspensa por seis meses, mas depois o primeiro-ministro francês, Édouard Philippe, disse que o aumento não entraria no projeto orçamentário de 2019.

Segundo a imprensa francesa, o presidente Emmanuel Macron tomou a decisão após perceber que a primeira proposta não foi bem recebida pelos “coletes amarelos”.

Deixe seu comentário: