Últimas Notícias > | > Assembleia sedia seminário sobre hortas urbanas; inscrições são gratuitas

No mês de março, as exportações superam as importações em 5 bilhões de dólares

As exportações somaram US$ 18,120 bilhões no período, enquanto as importações alcançaram US$ 13,130 bilhões. (Foto: Agência Brasil)

O Brasil registrou um superávit comercial de US$ 4,990 bilhões em março, divulgou na segunda-feira (01) o Ministério da Economia, no pior resultado para o mês desde 2016. As exportações somaram US$ 18,120 bilhões no período, enquanto as importações alcançaram US$ 13,130 bilhões.

O número ficou abaixo do divulgado para o mês em 2018 e 2017, superando apenas os US$ 4,431 bilhões registrados em março de 2016. No mês passado, as importações subiram 5,1% ante março de 2018, pela média diária, enquanto as exportações caíram 1% na mesma base de comparação.

No primeiro trimestre de 2019, o saldo das trocas comerciais soma US$ 10,889 bilhões, recuo de 11,1% sobre igual intervalo do ano passado. O ministério ainda não divulgou sua previsão de saldo comercial para 2019.

A balança comercial brasileira deve ficar positiva em US$ 50,25 bilhões neste ano, segundo a pesquisa Focus divulgada na segunda-feira. O número ficaria, portanto, abaixo dos US$ 58,659 bilhões registrados em 2018.

Destaques

Em março, as importações foram puxadas pelos bens de capital, com alta de 13% sobre um ano antes. Em seguida vieram os bens intermediários, com crescimento de 5,8%; e bens de consumo, com subida de 1,6%. Ao mesmo tempo, houve queda de 0,5% nas compras de combustíveis e lubrificantes. Já no caso das exportações, houve avanço nas vendas de produtos básicos de 7,9%, a US$ 9,689 bilhões.

As vendas externas de produtos manufaturados registraram queda de 6,5%, para US$ 6,148 bilhões. As exportações de produtos semimanufaturados recuaram 0,5%, para US$ 2,282 bilhões.

Comércio global

O comércio mundial cresceu mais lentamente do que o esperado em 2018 e continuará enfrentando “fortes ventos contrários em 2019 e 2020” em razão do aumento das tensões comerciais e da incerteza econômica, afirmou nesta terça-feira (02) a OMC (Organização Mundial do Comércio).

De acordo com o relatório da entidade, o comércio mundial de produtos cresceu 3% em 2018, abaixo da estimativa de 3,9% da última previsão divulgada em setembro. No 4º trimestre, encolheu 0,3%. Para 2019, a OMC projeta um crescimento de 2,6%, abaixo da estimativa anterior de 3,7%, e em linha com as projeções para o avanço do PIB (Produto Interno Bruto) mundial.

Em sua previsão anual, a organização disse que o comércio tem sido pressionado por novas tarifas e medidas retaliatórias, crescimento econômico mais fraco, volatilidade nos mercados financeiros e condições monetárias mais apertadas em países desenvolvidos. “O crescimento do comércio poderá se recuperar para 3% em 2020; no entanto, isso depende de um alívio das tensões comerciais”, destacou a OMC. Em 2017, o crescimento foi de 4,6%.

 

Deixe seu comentário: