Últimas Notícias > Colunistas > Fatos históricos do dia 18 de setembro

No Twitter, Bolsonaro reclamou de “fake news” e usou bordão militar

"Não é a primeira fake news do ano, mas vale uma risada!", disse Bolsonaro no Twitter. (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

Em uma de suas primeiras manifestações pelo Twitter em 2019, publicada por volta das 10h desta terça-feira (1º), o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), afirmou ser fake news uma notícia veiculada horas antes pela coluna Radar, da revista “Veja”. Segundo o texto produzido pelo jornalista Mauricio Lima, Bolsonaro “puxou a orelha dos filhos” e os alertou de que “a campanha acabou. Está na hora de governar”.

“Não é a primeira fake news do ano, mas vale uma risada!”, disse Bolsonaro no Twitter. O presidente eleito, que toma posse nesta terça-feira, completou a mensagem chamando seus seguidores para a cerimônia de posse e utilizando um bordão militar: “vamos pra Rampa! Selva!”. A expressão “selva” é usada por integrantes do Exército como forma de cumprimento.

Desde a campanha eleitoral, Bolsonaro tem utilizado a expressão fake news como um bordão para qualificar reportagens produzidas por jornalistas profissionais que considera falsas. De acordo com o texto da Veja, o motivo que teria levado Bolsonaro a chamar a atenção dos filhos foram “as declarações a favor da pena de morte e ataques dos herdeiros a aliados”.

Bolsonaro e família desembarcaram no sábado (29) em Brasília, vindos do Rio de Janeiro, para a posse. Desde o início do governo de transição, em novembro, eles estão instalados na residência oficial da Granja do Torto.

Redes sociais

O texto em que chama de fake news a publicação da Veja foi a terceira postagem de Bolsonaro no Twitter em 2019. Durante a madrugada, ele desejou “feliz 2019” aos seus seguidores e fez um convite para a cerimônia de posse de hoje.

O uso de redes sociais foi uma das principais ferramentas utilizadas por Jair Bolsonaro durante a campanha eleitoral para divulgar suas ideias e propostas. Contando com apenas oito segundos na propaganda de TV no primeiro turno, ele foi o candidato com o maior número de seguidores em plataformas como Twitter e Facebook.

No discurso de diplomação, em dezembro, Bolsonaro disse que “o poder popular não precisa mais de intermediação”, em referência às novas tecnologias que possibilitam comunicação direta com os eleitores.

Deixe seu comentário: