Home > Notícias > Brasil > A manutenção da condenação de Jair Bolsonaro não torna o deputado inelegível em 2018

Novo sistema BikePoa é apresentado aos porto-alegrenses

Modelo foi apresentado na estação BikePoa na Fundação Iberê Camargo. (Foto: Joel Vargas/PMPA)

O novo modelo das bicicletas compartilhadas em Porto Alegre foi apresentado nessa quinta-feira, na estação em frente à fundação Iberê Camargo, na avenida Padre Cacique (bairro Cristal), na Zona Sul da cidade. Segundo a prefeitura, tecnologia de ponta, mais conforto e segurança será o perfil dos veículos, que estão a caminho e serão disponibilizadas aos porto-alegrenses até o final do ano.

Além do novo BikePoA, o prefeito Nelson Marchezan Júnior anunciou outros projetos focados na mobilidade urbana juntamente com o Itaú. A mudança está sendo implementada pela empresa tembici, que em maio adquiriu a Samba Transportes Sustentáveis e passou a operar os sistemas de bikesharing patrocinados pelo Itaú Unibanco: BikePoA, Bike Sampa, Bike Rio, Bike PE e Bike Salvador.

Marchezan experimentou a nova bicicleta em um breve passeio na beira do Guaíba e anunciou a integração do sistema com o cartão Tri. “Poder acessar as bicicletas com o cartão, que já é utilizado no transporte coletivo, é um avanço no aspecto de integração de mobilidade”, anunciou o prefeito. Em relação às ciclovias, disse que a prefeitura vai estudar para avançar na mobilidade através da bicicleta como um todo. “Nós temos muitos planos para Porto Alegre. Vamos pegar esses planos e colocar na vida real da cidade”, concluiu.

A gerente de Relações Institucionais do Itaú Unibanco, Simone Gallo, ressaltou que a integração com o cartão de transporte municipal é muito relevante, porque o sistema de bike-sharing faz parte de uma política pública de mobilidade urbana, precisa estar integrado com outros modais. Dentre os projetos anunciados está a Escolinha Bike, em parceria com a empresa Tembici, que ensina crianças de 2 a 7 anos a pedalar com segurança nas cidades.

270 mil usuários

Porto Alegre já tem mais de 270 mil usuários cadastrados e 1,8 milhão de viagens realizadas por 410 bicicletas, que estão disponíveis em 41 estações da cidade. As cinco estações mais utilizadas são Redenção Mercadinho, Iberê Camargo, Shopping Barra Sul, Shopping Praia de Belas e Lima e Silva. As empresas envolvidas observaram que as pessoas estão utilizando as bicicletas como alternativa de mobilidade. A média de uso das bicicletas compartilhadas nos dias de semana é de 20 minutos, metade dos 40 minutos utilizados no final de semana.

O novo modelo é mais robusto e tem peças que não podem ser utilizadas em outras bicicletas, nem vendidas. Na Capital, a porcentagem do número de furtos de bicicletas é maior do que no Rio de Janeiro. As novas bikes são fornecidas à Tembici pela empresa canadense PBSC Urban Solutions, líder mundial em sistemas de compartilhamento de bicicletas. A PBSC atualmente tem cerca de 50 mil bicicletas em três continentes e em mais de 20 cidades. A tecnologia e equipamentos da empresa estão sendo usados nas principais cidades do mundo, como Chicago (EUA), Guadalajara (México), Londres (Inglaterra), Montreal e Toronto (Canadá) e, em breve, em Honolulu (Havaí).

Mudanças nas bicicletas

– Design mais moderno e exclusivo para compartilhamento, sendo mais leves, ergonômicas e robustas.
– Cesto adaptável para o tamanho da bagagem de mão do ciclista, sem acumular água ou sujeira.
– Pneus com lados reflexivos e em aro 24 proporcionam uma pedalada mais dinâmica, segura e confortável. Possui tecnologia antifurto, exclusivo no Brasil.
– Cobre-correntes que protege a roupa do ciclista.
– Banco confortável e canote do selim com marcas para ajuste de altura.
– Sistema de freios ‘Rollerbrake”, que garante freadas mais seguras.
– Configuração de marchas para três velocidades.
– Refletores frontais e traseiros com sistema de iluminação “Dynamo” com 10 mil horas de vida útil e que permanece aceso por até 90 segundos, dando mais segurança para quando o ciclista aguarda no semáforo.
– Dispositivo de trava com sistema antifurto.

Mudanças nas estações

– Layout exclusivo, sem gerar poluição visual, as estações foram concebidas para operar de forma ágil, inteligente e simples.
– Abastecimento por painéis solares que garantem a autossuficiência energética (preparadas para eventual uso de bicicletas elétricas futuramente).
– Solução modular para as bicicletas, sendo possível adicionar ou remover docks conforme a necessidade. Sem necessidade de fixação ao solo.
– Média de 20 vagas por estação.
– Quiosque com interface de pagamento digital, de forma mais didática e de fácil utilização, com comunicação sem fio que agiliza o processamento de pagamentos e a transmissão de dados.

Mudanças no aplicativo

– Permite o ciclista planejar o passeio, pagar e desbloquear a bicicleta com o código gerado pelo aplicativo.
– Encontrar estações próximas manualmente ou usando GPS do dispositivo.
– Encontrar bicicletas disponíveis por pontos de devolução livres.
– Marcar as estações favoritas.
– Encontrar rota para um destino com informações de distância e elevação.
– Registrar as viagens com o GPS.

Comentários