Últimas Notícias > Capa – Caderno 1 > Bolsonaro vai manter os saques do FGTS, apesar da preocupação de empresários

Para evitar nova greve dos caminhoneiros, governo federal autoriza empréstimos e obras em rodovias

Os caminhoneiros carregam desde o "ano passado a frustração de não ter a lei do piso mínimo do frete cumprida”. (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

O governo federal anunciou nesta terça-feira (16) uma linha de crédito de até R$ 30 mil, via BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), para caminhoneiros autônomos. Também comunicou o investimento de R$ 2 bilhões em rodovias. As medidas fazem parte de uma série de ações que o governo está tomando para evitar uma nova greve dos caminhoneiros.

O anúncio foi feito no Palácio do Planalto pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. “O governo anuncia neste momento uma linha de crédito específica para caminhoneiros autônomos de até R$ 30 mil para compra de pneus e manutenção dos veículos”, afirmou Lorenzoni.

De acordo com o ministro, serão liberados R$ 500 milhões na linha de crédito, que poderá ser acessada pelos caminhoneiros primeiro nos bancos públicos, Banco do Brasil e Caixa, e depois nos “demais bancos e cooperativas de crédito de todo o Brasil.”

Além disso, segundo o ministro, poderão tomar o empréstimo apenas caminhoneiros autônomos que tenham até dois caminhões por CPF.

Rodovias

Ele afirmou que, dos R$ 2 bilhões para as rodovias, cerca de R$ 900 milhões serão usados para manutenção. Ele afirmou que as chuvas intensas do verão, aliadas ao transporte rodoviário, prejudicaram estradas em todo o País.

“Historicamente, há muitos anos nós não tínhamos chuvas tão intensas e tão difusas no Brasil. Nós já não tínhamos uma manutenção das rodovias brasileiras”, afirmou.

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, também presente à entrevista coletiva no Palácio do Planalto, informou que, entre as obras previstas, está a pavimentação da BR-163, que liga o Centro-Oeste ao Norte do País.

A via é muito usada para transporte de carga até o porto de Miritituba, no Pará, mas enfrenta problemas como atoleiros, que geram filas de caminhões.

De acordo com o Ministério da Infraestrutura, os investimentos vão para: BR-381/MG: conclusão de 66 km; BR-116/RS: conclusão de 69 km de duplicação; Entrega da Ponte do Guaíba, no Rio Grande do Sul; BR-163/PA: pavimentação até o porto de Miritituba; BR-101/BA: duplicação de 84 km; BR-242/MT: licenciamento ambiental e construção de 8 pontes de concreto que substituirão pontes de madeira; e BR-135/MA: complementação do trecho de Estiva a Bacabeira.

De acordo com o ministro da Casa Civil, o dinheiro a ser usado para as obras nas rodovias deverá ser compensado no orçamento dos ministérios com cortes de despesas.

Diesel

Lorenzoni foi questionado sobre a política do governo para o preço do diesel. Ele afirmou que o tema é uma das reivindicações dos caminhoneiros e seria tratado em reunião na tarde desta terça entre o presidente Jair Bolsonaro, a equipe econômica e representantes da Petrobras.

Na semana passada, Bolsonaro determinou que a estatal suspendesse um reajuste previsto para o diesel. A ação do presidente foi vista pelo mercado como interferência política na Petrobras.

“Vai haver uma reunião agora à tarde, que já está anunciada, entre o presidente, o Ministério da Economia, outros ministérios e a Petrobras, que vão discutir esse tema. Agora, o governo sempre disse que a Petrobras tem a autonomia e a liberdade para exercitar aquilo que é necessário do ponto de vista de política de combustível”, disse Lorenzoni.

Deixe seu comentário: