Últimas Notícias > Notícias > A Microsoft admite que funcionários também escutavam áudios do Skype e da Cortana

Elton John deu palhinha em Cannes com ator que o interpreta em filme

"Rocketman" tem estreia marcada para 30 de maio no Brasil. (Foto: Divulgação)

Em Cannes (França) para acompanhar a estreia mundial de “Rocketman”, sua cinebiografia, o cantor Elton John deu uma palhinha e cantou ao lado do ator Taron Egerton, que o interpreta no filme.

O dueto aconteceu durante a festa de lançamento do longa, logo após a sua exibição na mostra francesa de cinema, na noite desta quinta-feira (16), no horário local. Antes de chamar o protagonista para se juntar a ele, o músico foi ao piano e cantou sozinho “I’m Still Standing”.

A escolha não foi aleatória. É que nos anos 1980, o clipe da música foi gravado ali próximo, na praia em frente ao hotel Carlton, na cidade de Cannes. Juntos, Elton e Egerton cantaram “Rocket Man”, um dos maiores sucessos da história do britânico e canção que dá título à sua cinebiografia.

O filme, dirigido por Dexter Fletcher, vem na onda do sucesso de “Bohemian Rhapsody”, sobre o Queen.

Mas, ao contrário desse último, faz um retrato mais apimentado da vida do biografado. “Essa foi uma noite muito emotiva para mim”, disse o cantor.

“Mesmo se o filme não fizer nenhum centavo nas bilheterias, é o filme que eu queria que fosse feito.”

Estreia

Considerado excêntrico por muitos, Elton John colocou seu excepcional repertório musical a serviço da luta contra a aids e agora sua música pop engajada chega aos cinemas com “Rocketman”, filme exibido fora de competição no Festival de Cannes.

Dirigido por Dexter Fletcher, o longa-metragem explora a ascensão do cantor e compositor, assim como sua relação de trabalho com Bernie Taupin, que escreveu as letras de várias de suas canções.

Os dois responderam a um anúncio publicado por uma gravadora de Londres em 1967, quando o cantor, cujo nome verdadeiro é Reginald Kenneth Dwight, tinha 29 anos e adotou o nome artístico de Elton Hercules John.

A parceria virou um fenômeno mundial, iniciado em 1970 com o álbum “Elton John”, que tinha o hit “Your Song”.

Entre 1970 e 1976, a dupla lançou 14 álbuns, que incluíram canções que se tornaram clássicos, entre elas “Rocket Man”, “Crocodile Rock”, “Bennie and the Jets” e “Don’t Go Breaking My Heart”.

Após um breve afastamento, os dois retomaram a colaboração em 1980, o que levou Elton John novamente ao topo das paradas, especialmente com a canção “I’m Still Standing”.

Com a música “Candle in the Wind 1997”, um sucesso de 1973 que o cantor reescreveu a pedido da família real britânica em homenagem à princesa Diana e que interpretou no funeral de sua amiga na Abadia de Westminster, Elton John bateu o recorde de single mais vendido no mundo: 33 milhões de exemplares.

Bastidores obscuros

No palco, o figurino extravagantes e suas acrobacias atraíam multidões. Mas nos bastidores o cenário era obscuro, com drogas, álcool e crise de bulimia.

Até que o cantor conheceu um jovem hemofílico contaminado com o vírus da aids no início dos anos 1990, o que marcou uma guinada em sua carreira e uma mudança radical em sua vida.

“Era desintoxicar ou morrer”, explicou o artista, que se considera “sortudo” por não ter contraído o HIV. Ele criou a Fundação Elton John de combate a aids em 1992, um ano depois da morte de seu amigo Freddie Mercury, líder do grupo Queen, vítima da doença.

A rainha Elizabeth II o nomeou cavaleiro em 1998. A recuperação pessoal foi acompanhada de uma ressurreição musical, marcada pelo êxito de “Sacrifice” em 1990. Após uma cirurgia nas cordas vocais em 1987, sua voz ganhou um tom mais grave.

Elton John vendeu mais de 300 milhões de discos no mundo, fez mais de 3.500 shows e venceu diversos prêmios, incluindo um Oscar em 1995 pela canção “Can You Feel the Love Tonight”, composta para a animação da Disney “O Rei Leão”.

En 2016, seu 33º álbum de estúdio, “Wonderful Crazy Nights”, mais uma colaboração com Bernie Taupin, foi um dos 10 mais vendidos no Reino Unido. Com um retorno às origens roqueiras de seu piano, Elton John demonstrou sua alegria de viver, entre seu casamento e a paternidade recente.

“Olhar para trás é uma perda de tempo”, cantou em “Looking Up”. Na balada final “The Open Chord”, fala sobre a vida familiar e faz referência ao fim dos “pecados” e os “horrores que o diabo me fazia carregar todos os dias”.

Elton John se casou com seu companheiro David Furnish em 2014, poucos meses depois da legalização do casamento gay na Inglaterra. O casal tem dois filhos: Zachary, nascido em 2010, e Elijah, nascido em 2013.

 

Deixe seu comentário: