Últimas Notícias > Capa – Caderno 1 > Polícia localiza dois depósitos e apreende drogas na Região Metropolitana

O dólar cai e favorece as viagens para o exterior

Consumidores voltaram a planejar as viagens com mais antecedência. (Crédito: Reprodução)

A queda do dólar nos últimos meses (a moeda fechou a última semana cotada a 3,2 reais, já em janeiro estava acima dos 4 reais) está permitindo que os brasileiros voltem a sonhar com viagens para o exterior nas férias de fim de ano. Segundo estimativa da Braztoa (Associação Brasileira de Operadoras de Turismo), a procura por pacotes internacionais, entre janeiro e setembro de 2016, supera os índices relativos ao mesmo período do ano passado em 30% a 40%. Maior agência de viagens do País, a CVC viu a busca por destinos no exterior dobrar, passando de 20% para 40% do total das vendas, entre 2015 e 2016.

De acordo com a Associação Brasileira de Agências de Viagem, os destinos que deverão puxar essa retomada são Estados Unidos, Caribe e América do Sul. A procura por esses locais deve apresentar um crescimento de 30% no fechamento do ano, em relação a 2015, enquanto para a Europa o acréscimo deve ser de 10%.

Planejamento.

A maior estabilidade no cenário econômico nos últimos meses tem influenciado o comportamento do turista brasileiro, de acordo com o diretor de produtos internacionais da CVC, Fábio Mader. A retomada da confiança na economia está motivando os consumidores a planejar as viagens com mais antecedência.

“Em 2015, as pessoas adquiriram as viagens perto da data de embarque, com uma antecedência média de 45 dias”, lembra Mader. “Agora, os consumidores voltaram a planejar as férias, com uma antecedência de compra de 70 dias, em média, em relação à data de embarque”, completa.

Decidir com antecedência foi exatamente o que fez o advogado e professor universitário Anderson de Souza e Silva. Ele resolveu comemorar seu aniversário de 50 anos em uma viagem para o Oriente Médio e para a Europa, no final deste mês.

As passagens de avião foram compradas em uma agência de viagens em setembro. A queda do dólar animou o advogado a realizar o sonho. “Aproveitei que o dólar está diminuindo para fazer esta viagem. Sempre quis conhecer o Oriente Médio.”

A empresária Laís Queluz já planejava viajar mesmo com o dólar alto, mas vai aproveitar a recente valorização da moeda brasileira para estender a temporada nos Estados Unidos.

O pacote para um cruzeiro na Flórida, com o objetivo de comemorar o aniversário de 3 anos da filha, já estava comprado. Com a decisão de estender as férias, Laís, o marido e os filhos vão passar agora mais seis dias na região para visitar atrações como os parques de diversão da Disney.

Apesar da melhora em relação ao ano passado, Magda Nassar, da Braztoa, diz que a entidade ainda vê 2016 como um “ano de recuperação” da economia, evitando fazer comparações com outros tempos, como 2013, quando o dólar valia cerca de 2 reais. “A expectativa é de recuperar os níveis de 2014 e 2013, quando o dólar estava mais baixo. Creio que a gente deva conseguir alcançar esses números no próximo ano.” (AE)

Deixe seu comentário: