Últimas Notícias > CAD1 > Jogando fora de casa, o Inter enfrenta nesta quarta-feira o Bahia com o desafio de manter no segundo turno do Brasileirão a boa campanha colorada

O dólar fechou a semana cotado a 3 reais e 86 centavos, maior valor em quase um mês

A moeda norte-americana subiu 1,59% nessa sexta-feira. (Foto: EBC)

O dólar comercial deu um salto de 1,6% nessa sexta-feira e fechou no maior nível ante o real desde meados de julho, influenciado pela forte aversão ao risco nos mercados internacionais por conta de preocupações com a situação da Turquia.

Esse desempenho foi influenciado pelo impacto da desvalorização de quase 20% da lira turca, em meio à preocupação de que o governo e empresas do país árabe não consigam pagar a dívida em dólar. O cenário piorou com o agravamento das relações com os norte-americanos.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, autorizou nesta sexta-feira uma duplicação nas tarifas de importação de aço e alumínio da Turquia.

Erdogan pediu aos turcos que troquem ouro e divisas pela lira para defender a moeda no que chamou de “batalha nacional”, enquanto o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, declarou que a relação de seu país com os turcos “não está boa neste momento” e que autorizou tarifas mais altas sobre as importações da Turquia.

“O movimento da lira turca preocupa praticamente a todos”, escreveu a corretora H.Commcor em relatório. “Os investidores estão acionando o ‘modo pânico’, em meio à preocupação com a solvência daquele mercado”, acrescentou.

Debate

A forte aversão ao risco global acabou deixando em segundo plano, momentaneamente, a cena eleitoral brasileira depois da realização do primeiro debate dos candidatos à Presidência da República. Apresentado pela TV Bandeirantes na noite anterior, o teor do programa foi considerado por muitos como “morno”.

Deixe seu comentário: