Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Papa diz que incêndios na Amazônia ameaçam “pulmão vital do planeta”

O ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral disse que o ex-prefeito Eduardo Paes recebeu 6 milhões de reais em caixa dois durante a campanha eleitoral de 2008

Segundo Sérgio Cabral (foto), o empresário Arthur Soares, conhecido como Rei Arthur, foi o responsável pelo pagamento de vantagens indevidas. (Foto: Arquivo/Agência Brasil)

O ex-governador Sérgio Cabral (MDB), em novo depoimento ao juiz Marcelo Bretas, responsável pela Operação Lava-Jato no Rio de Janeiro, afirmou nesta segunda-feira (01) que o ex-prefeito Eduardo Paes (DEM) recebeu R$ 6 milhões em caixa dois durante a campanha eleitoral de 2008.

Segundo Cabral, o empresário Arthur Soares, conhecido como Rei Arthur, foi o responsável pelo pagamento de vantagens indevidas. Em troca, o empresário teria sido beneficiado com contratos na área da saúde e no Centro de Operações Rio. Eduardo Paes diz que doações foram declaradas e devidamente aprovadas pela Justiça Eleitoral.

“Ele [Arthur] foi o maior doador na campanha do Eduardo Paes, com R$ 6 milhões, na campanha de 2008”, disse Cabral durante o depoimento. Nesta segunda-feira, Cabral contou que o empresário fez as doações para a campanha de Eduardo Paes atendendo a um pedido seu.

“Na campanha do Eduardo eu combinei de apresentar os empresários ou para o Eduardo ou para o Pedro Paulo. Eu chamava os empresários no meu gabinete e avisava que aquela seria uma campanha muito dura [em 2008], com Jandira Feghali vindo bem, Crivella e Gabeira muito fortes. Eu sabia que ele [Eduardo] iria crescer nas pesquisas. E por isso busquei os empresários que eu tinha mais confiança, como era o caso do Arthur Soares”, disse Cabral

“Ele reclamou que o Eduardo não atendia ele com contratos. Mas que acabou sendo atendido na área da saúde e no centro de controle da cidade. Essa foi a compensação em contratos que o Arthur teve pela doação na campanha”, acrescentou Cabral.

R$ 5 milhões de caixa 2 a Lindbergh

O ex-governador também disse que o ex-senador Lindbergh Farias (PT) foi outro político beneficiado por doações do empresário Arthur Soares. De acordo com Cabral, o petista recebeu cerca de R$ 5 milhões. “A campanha de 2010 era muito grande, eu recebi R$ 6 milhões na minha campanha. Mas ele [Arthur] teve que ajudar o candidato ao senado Lindbergh Farias (PT), com algo em torno de 5 milhões de reais”, contou Cabral.

Cabral x Arthur: relação antiga

O depoimento da tarde desta segunda foi um pedido feito pela defesa do ex-governador Sérgio Cabral ao juiz Marcelo Bretas. O objetivo seria colaborar com as investigações envolvendo o empresário Arthur Soares. Durante o interrogatório, Cabral contou o histórico do empresário na administração pública.

Segundo o ex-governador, Arthur começou a aparecer durante o governo de Marcelo Alencar. Porém, somente no governo Anthony Garotinho, quando Cabral era presidente da Assembleia Legislativa, que o empresário passou a ter uma posição de destaque na articulação entre políticos e outros empresários prestadores de serviços.

Deixe seu comentário: