Últimas Notícias > Magazine > Dicas de O Sul > Complex realiza evento com karaokê e clássicos do axé

O FBI confirmou que o funcionário que roubou um avião em um aeroporto nos Estados Unidos não tinha motivação terrorista

Imagem de longa exposição mostra fumaça e luz alaranjada na ilha de Ketron, em Washington, após queda de avião. (Foto: Reprodução)

O FBI (a polícia federal dos Estados Unidos) confirmou no sábado (11) que o funcionário da companhia aérea Horizon Air que roubou um avião na noite de sexta-feira (10) no Aeroporto Internacional de Seattle-Tacoma, que fica em Washington, não tinha nenhuma motivação terrorista.

O homem, que se identificou como Richard, ou “Rich”, decolou sem autorização, fez manobras arriscadas e caiu com a aeronave após voar por aproximadamente 90 minutos. Ele estava sozinho a bordo e morreu e a polícia afirma que ele era suicida.

A empresa diz que ele tinha 29 anos e era mecânico, por isso tinha livre acesso à área onde estava a aeronave, um modelo Bombardier Q400, de fabricação canadense, com capacidade para transportar 76 passageiros.

No entanto, ele não tinha licença para pilotar e nem autorização para retirar o avião do local.

A aeronave foi roubada por volta das 20h (às 0h de sábado, no horário de Brasília-DF). Dois caças militares foram acionados para conter o avião roubado, mas não estiveram envolvidos na queda, segundo a polícia.

A aeronave caiu a cerca de 48 km do local da decolagem em uma área de floresta na ilha de Ketron. A queda provocou fogo na mata, e equipes de bombeiros foram ao local para controlar as chamas. Segundo a polícia de Pierce, a queda foi provocada por manobras que o piloto fez enquanto estava no ar ou por sua falta de habilidade.

Enquanto ainda estava voando, o homem foi contatado pelo rádio, quando se identificou como Richard e deu a entender que pretendia se matar. Controladores tentavam orientá-lo a manobrar o avião e pousar em segurança.

“Parabéns, você fez isso, agora vamos tentar aterrissar esse avião em segurança e não machucar ninguém no solo”, disse um controlador de tráfego aéreo.

“Não sei, cara. Não sei. Não quero. Eu estava meio que esperando que fosse isso”, teria respondido o piloto.

Em outro momento da conversa, ele teria dito: “Eu tenho muitas pessoas que se importam comigo, e elas vão ficar desapontadas quando souberem que eu fiz isso. Eu gostaria de pedir desculpas a todos, a cada uma delas. Sou apenas um cara destruído. Tenho alguns parafusos soltos, eu acho. Nunca realmente soube até agora”.

Investigações

O chefe da Alaska Airlines, da qual a Horizon Air é subsidiária, disse que diversas agências federais estão envolvidas nas investigações sobre o incidente. “Estamos trabalhando para descobrir tudo o que for possível sobre o que aconteceu, trabalhando com a Administração Federal de Aviação, o FBI e o Conselho Nacional de Segurança no Transporte. Estamos dando aos investigadores nosso total apoio e cooperação”, disse Brad Tilden em comunicado.

Em uma mensagem gravada, a chefe de operações da companhia aérea lamentou o ocorrido. “Nossos corações estão com a família do indivíduo a bordo, assim como com os nossos funcionários da Alaska Airlines e da Horizon”, disse Constance von Muehlen.

Deixe seu comentário: