Sexta-feira, 13 de Dezembro de 2019

Porto Alegre
Porto Alegre
20°
Mostly Cloudy

CAD1 O Grêmio realiza neste sábado o seu último treino antes da finalíssima do Gauchão, contra o Brasil de Pelotas

Apesar da vantagem, equipe do técnico Renato (C) mantém o discurso de cautela. (Foto: Lucas Uebel/Grêmio)

Na manhã deste sábado, os jogadores do Grêmio voltam ao gramado do centro de treinamentos Luiz Carvalho, no complexo esportivo da Arena, para a última atividade preparatória antes da segunda partida das finais do Campeonato Gaúcho, contra o Brasil de Pelotas. A primeira parte da sessão terá portões fechados à imprensa.

A tarde de sexta-feira também foi de trabalho. Dentro de campo, o técnico Renato Portaluppi não contou com alguns de seus titulares. O zagueiro Kannemann, o lateral Bruno Cortez, o volante Ramiro e os atacantes Everton e Jael correram ao redor do gramado após o aquecimento, mas devem constar na escalação que será anunciada momentos antes do confronto.

O restante da equipe trabalhou normalmente, em campo reduzido, dividida em três times. A missão consistia em passar por duas estacas posicionadas no meio-campo para pontuar, enquanto o outro escrete precisava fazer gols.

Cautela

O elenco não esconde a animação com a iminência de mais um título em menos de dois anos, sendo que o clube não conquista um Gauchão desde 2010. “Estamos em uma fase muito boa. Desde o título da Copa do Brasil [em 2016], a gente têm se cobrado muito e o professor Renato também”, acrescentou o zagueiro Pedro Geromel.

Ele reforça, no entanto, o discurso de cautela, evitando o “salto-alto” para o confronto, marcado para as 16h deste domingo no estádio Bento Freitas. A manifestação foi motivada por questionamentos sobre a situação amplamente favorável do Tricolor, construída no duelo de ida com uma goleada de 4 a 0 sobre o Xavante.

“Sabemos de nossa vantagem para este jogo [podendo perder por até três gols de diferença], mas não estamos acomodados”, garantiu o defensor em entrevista coletiva na sala de imprensa do clube. “O nosso grupo já tem experiência suficiente para manter os pés nos chão, com humildade.”

Voltar Todas de CAD1

Compartilhe esta notícia:

A defesa de Lula negocia com a Polícia Federal o momento para o ex-presidente se entregar
Os partidos de esquerda na Argentina convocaram uma manifestação em frente à embaixada do Brasil em Buenos Aires
Deixe seu comentário
Pode te interessar