Últimas Notícias > Capa – Caderno 1 > Donald Trump quer taxar as importações de veículos aos Estados Unidos

Dubai é a terra das construções megalomaníacas

O hotel Burj Al Arab é para quem aprecia o luxo extremo. (Foto: Reprodução)

Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, é a terra das construções megalomaníacas, como o prédio Burj Khalifa, que, com 828 metros de altura, é o arranha-céu mais alto do mundo. O edifício mais icônico da metrópole do Oriente, entretanto, é o hotel Burj Al Arab. Com uma arquitetura que lembra um veleiro cercado pelas águas do Golfo Pérsico, o estabelecimento é para quem gosta de (e pode pagar por) luxo extremo: além de seu chamativo exterior, o Burj Al Arab tem um interior de cair o queixo, que inclui uma Suíte Real cuja diária custa 8.900 mil dólares (mais de 29 mil reais).

Com 321 metros de altura, a edificação foi levantada sobre uma ilha artificial no meio do mar, a cerca de 280 metros da orla. Ela se encontra conectada à costa de Dubai por uma ponte. Os hóspedes, por sua vez, podem chegar ao hotel com carros de luxo da marca Rolls-Royce ou de helicóptero e, na entrada principal, se deparam com uma fonte que usa cerca de 20 mil litros de água para realizar shows aquáticos. Lá dentro, a ostentação não para: nas áreas sociais do Burj Al Arab há uma cachoeira, três enormes aquários com cerca de 50 espécies de peixes e um átrio com 180 metros de altura (segundo o hotel, trata-se do átrio mais alto do mundo).

Entre os elementos que decoram o interior do hotel há paredes e pisos de mármore italiano, lustres trazidos do Reino Unido e carpetes finos da Índia e África do Sul. Há também diversos espaços forrados com folhas de ouro. Suítes No total, há 202 suítes dentro do Burj Al Arab, com áreas variando entre 170 m² e 780 m². Os maiores e mais luxuosos destes espaços são as duas Suítes Reais que ocupam todo o 25º andar do hotel: cada uma delas tem dois andares conectados por uma escada feita com mármore e ouro, sala de cinema privativa e quartos com camas onde caberiam famílias inteiras

 

Deixe seu comentário: