Últimas Notícias > Esporte > Cristiano Ronaldo chorou com imagens inéditas do seu pai, que era alcoólatra

O Inter vence o Nacional por 2 a 0 e avança para as quartas de final da Libertadores

Os gols colorados foram marcados por Rodrigo Moledo e Paolo Guerrero. (Foto: Ricardo Duarte/Internacional)

O Internacional está nas quartas de final da Libertadores. A vaga foi garantida após o Colorado vencer, na noite desta quarta-feira (31), diante de mais de 48 mil torcedores, o Nacional-URU por 2 a 0. No jogo de ida, os comandados de Odair Hellmann já haviam superado os uruguaios por 1 a 0.

Para confirmar a vaga, a equipe colorada precisava ter foco e administrar a vitória. Mas, nos minutos iniciais, as primeiras chegadas foram do Nacional. O jogo estava equilibrado e o time uruguaio mantinha uma alta marcação. Porém, o Inter acordou com o embalo da torcida e começou a pressionar os visitantes. A partir dos nove minutos, só deu Inter.

Nico López começou a partida ligado. Não à toa, já que queria encerrar o jejum de gols de quase 20 jogos. O gol até saiu, mas não foi ele quem marcou. Aos 16 minutos, após uma cobrança perfeita de D’Alessandro, Rodrigo Moledo acertou a cabeçada e abriu o placar em Porto Alegre.

O Colorado deu uma moderada nas chances de gol. Mas quando chegava, era com perigo. O ponteiro marcava 30 minutos e o Internacional mantinha maior posse de bola: 60%. E o Nico? Sim, fez gol, mas estava impedido. Após uma bela troca de passes, o atacante mandou para o fundo das redes de Mejía. O árbitro chegou a revisar o lance mas, com o auxílio do VAR, manteve o impedimento.

Logo após, ele, Nico López, mais uma vez, quase marcou. Cuesta lançou para ele, que chutou, mas o goleiro do time visitante fez uma grande defesa. Já o Nacional estava todo recuado, não conseguia chegar ao ataque. Quando o árbitro subiu a placa de acréscimos, mais um gol impedido de Nico López. Ao consultar o VAR, o gol permaneceu anulado.

Na segunda etapa, o Nacional, precisando de gols, iniciou melhor. O Inter se mantinha fechado e, quando contra-atacava, era perigoso. Aos 13 minutos, Nico inverteu para D’Alessandro, que chutou para fora. A equipe da casa novamente reverteu a situação de jogo e começou a pressionar. Aos 17 minutos, D’Alessandro tocou para Guerrero, que soltou uma bomba, defendida pelo goleiro.

Odair Hellmann mexeu em sua equipe. Tirou Nico López e colocou Rafael Sóbis. Na sequência, após Lindoso se lesionar, entrou Nonato, que quase marcou o seu. Aos 26 minutos, recebeu de D’Alessandro, entortou Felipe Carvalho e chutou. A bola passou perto da trave.

O jogo continuou sem muitas chances claras, mas com o Inter mantendo a posse de bola e jogando bem. Aos 34 minutos, Sóbis recebeu dentro da área e chutou cruzado. A bola passou novamente perto do gol de Mejía.

D’Alessandro ainda aplicou um lençol em Gabriel Neves e, depois, foi substituído. Wellington Silva entrou. Mas não faltava algo? Sim. Ele. Guerrero marcou aos 48 minutos.

O próximo confronto do Inter é contra o Fluminense, neste sábado (3), no Maracanã. A partida é válida pelo Brasileirão.

Na próxima fase da competição sul-americana, o Inter enfrentará o Flamengo, que ganhou do Emelec nos pênaltis, no Maracanã, após vencer por 2 a 0 no tempo normal.

Ficha técnica

Internacional: Marcelo Lomba; Bruno, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Uendel; Rodrigo Lindoso (Nonato), Edenílson, Patrick, D’Alessandro (Wellington Silva) e Nico López (Rafael Sóbis); Paolo Guerrero. Técnico: Odair Hellmann.

Nacional: Mejía; Cotugno, Corujo, Felipe Carvalho e Viña; García, Gabriel Neves, Zunino (Bruno Fernández), Kevin Ramírez (Castro) e Lorenzetti (Barrientos); Bergessio. Técnico: Álvaro Gutiérrez.

Arbitragem: Fernando Rapallini, auxiliado por Juan Belatti e Maximiliano Del Yesso.

VAR (árbitro de vídeo): German Delfino.

 

Deixe seu comentário: