Últimas Notícias > Notícias > Mundo > Em nova denúncia, promotores acusam o brasileiro Carlos Ghosn de desviar 5 milhões de dólares da Nissan

O Mercado Público de Porto Alegre funciona com horário de atendimento ampliado durante a Semana Santa

Local deve ter o seu segundo pavimento reativado no segundo semestre. (Foto: Divulgação/PMPA)

Ao longo desta semana de Páscoa, o Mercado Público Central de Porto Alegre (Centro Histórico) fecha as suas portas mais tarde. A exceção fica por conta do feriado da Sexta-Feira Santa, quando o expediente será encerrado às 13h.

De acordo com a prefeitura da Capital, a iniciativa é motivada pelo aumento da demanda comercial até sábado (15 de abril). Confira a seguir os horários de funcionamento, dia a dia, do mais tradicional centro de compras da cidade:

– Terça-feira: 7h30min às 20h30min;

– Quarta-feira: 7h30min às 20h30min;

– Quinta-feira: 7h às 21h;

– Sexta-feira: 7h30min às 13h;

– Sábado: 7h30min às 18h30min.

Segundo pavimento

Uma vistoria realizada na manhã de quinta-feira pelo Corpo de Bombeiros deu um novo ânimo aos permissionários do segundo andar do Mercado Público de Porto Alegre. Isso porque, a partir da análise do PPCI (Plano de Prevenção Contra Incêndio), à tarde a corporação liberou para o espaço um alvará provisório, com duração de um ano.

De acordo com a ASCOMEPC (Associação do Comércio do Mercado Público Central), a expectativa é de que é que o local volte a funcionar plenamente dentro de seis meses. Se tudo der certo, a reabertura coincidirá com o aniversário de 150 anos do prédio, fundado em 3 de outubro de 1969.

Durante o período de vigência do alvará provisório, a entidade continuará realizando as adaptações que ainda faltam, de olho em uma nova vistoria. A meta é obter então a liberação definitiva.

Com diversos estabelecimentos e uma agência do Banrisul (todos interditados), o segundo piso está fechado ao público desde o dia 6 de julho de 2013 (exceto por banheiros), quando a construção – tombada devido ao seu valor histórico – sofreu um incêndio de grandes proporções em uma noite de sábado. Não houve casos fatais.

Desde então, os estabelecimentos de alimentação destruídos pelas chamas têm funcionado de forma improvisada: o jeito encontrado foi uma espécie de “praça de alimentação” provisória, instalada em um dos quadrantes do térreo do Mercado.

Parklets

Desde março do ano passado, quando a rua Hilário Ribeiro (bairro Moinhos de Vento) recebeu o primeiro parklet de Porto Alegre, já são 11 estruturas desse tipo instaladas na cidade e pelo menos 30 solicitações. O interesse motivou a realização de um curso, na manhã dessa segunda-feira, para esclarecer questões importantes, como legais e técnicas, para a prática de outras iniciativas desta natureza, bem como explicar o Decreto 20.115/18 que regulamenta a questão.

O encontro, com 70 inscritos, aconteceu no auditório da EPTC (Empresa Pública de Transporte e Circulação), com apoio da Coordenação de Educação para a Mobilidade. O curso foi ministrado pelos técnicos da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Mobilidade Urbana, Elisandra Ferreira e Paulo Lima Loge, e os da EPTC Marcos Feder e Thaís Gonçalves.

“Trata-se de um espaço de convivência, criado a partir de uma intervenção urbana temporária. É uma extensão da calçada em áreas anteriormente destinadas ao estacionamento de veículos. Os parklets valorizam o espaço urbano, com possibilidades de colocação de bancos, cadeiras, floreiras, paraciclos e hortinhas comunitárias, entre outros itens”, destacou um dos organizadores.

A engenheira Elisandra Ferreira explicou os caminhos para implantação dos parklets: “A prefeitura incentiva a colocação dos parklets na cidade, com implantação dos equipamentos de acordo com regras estabelecidas por decreto. Após a solicitação junto à EPTC, com todas as explicações técnicas e legais proporcionadas aos interessados, é realizada uma consulta pública. Depois de aprovado o pedido, com análise também da equipe técnica da Smim, os parklets são instalados por um tempo de quatro anos, que pode ser estendido”.

(Marcello Campos)

Deixe seu comentário: