Últimas Notícias > Capa – Caderno 1 > Tentativa de assalto em bairro de Novo Hamburgo termina com guarda municipal baleado

O Ministério Público Federal disse que houve uma tentativa de comunicação entre Temer e o ex-ministro Moreira Franco na madrugada da operação que os prendeu. O horário não habitual de ligações causou estranheza aos investigadores

O ex-presidente estava detido preventivamente em São Paulo desde a semana passada. (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)

Procuradores do MPF (Ministério Público Federal) afirmaram, na tarde desta sexta-feira (29), que o ex-presidente Michel Temer tentou ligar para o ex-ministro Moreira Franco horas antes de os dois serem presos na Operação Descontaminação, desdobramento da Lava-Jato, no último dia 21.

“Em todo o período [86 dias de registros analisados] que foi encontrado no celular, não foi encontrada nenhuma mensagem dos dois interlocutores no período da madrugada, apenas no dia da operação (…) É um possível indício de vazamento. Não é descartada a possibilidade que eles tenham conversado um pouco antes da operação [por outro aplicativo]”, disse o procurador Eduardo El Hage, referindo-se a Temer e Moreira Franco.

O MPF apura se houve vazamento antes da ação da força-tarefa. “É possível que sim, vamos continuar investigando. As ligações acabaram não completando. Logo, não tivemos acesso ao conteúdo da ligação e não sabemos se eles se comunicaram por outros meios. Primeiro, Michel Temer pergunta se o Moreira Franco está acordado. Então, ele liga para o Moreira. Em seguida, manda uma mensagem ‘te liguei e você não atendeu’. Isso 1h40min aproximadamente, do dia da operação”, disse procurador da República Almir Teubl.

Os procuradores concederam entrevista coletiva para falar de duas novas denúncias contra Temer, Franco e outras 12 pessoas sob a acusação de desvios de recursos da Eletronuclear na construção da usina de Angra 3. Ao todo, foram 14 denunciados pelos crimes de corrupção ativa e passiva, peculato e lavagem de dinheiro, relacionados ao desvio de pelo menos R$ 18 milhões.

Relação entre Temer e Lima

Segundo os investigadores, a relação entre Temer e o Coronel Lima, apontado como amigo e operador do ex-presidente, foi comprovada não apenas por delação premiada.

“Uma série de elementos, que foram disponibilizados de forma exaustiva na denúncia, corroboram com a denúncia. Bem como ligações telefônicas, pesquisa em sistemas informatizados, documentos assinados, ligações telefônicas e acordos de colaboração premiada. Todos esses elementos também comprovam a ligação entre Michel Temer e Coronel Lima”, disse El Hage.

O procurador Leonardo Freitas também afirmou que durante as investigações foram encontradas novas contas na Suíça descobertas em nome de Othon Luiz Pinheiro da Silva e de suas filhas, com quantias que somam cerca de R$ 60 milhões. Essas contas, segundo ele, não são as mesmas que foram citadas na Operação Radioatividade, de 2015.

Recurso contra habeas corpus

Os procuradores explicaram que não pediram novas prisões nas duas novas denúncias “por ter respeito às decisões das instâncias dos tribunais”. Eles vão recorrer, entretanto, da soltura dos presos na Descontaminação, determinado em um habeas corpus concedido pelo desembargador Ivan Athié, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região.

“O próximo passo é que o juiz [da 7ª Vara Federal Criminal] Marcelo Bretas vai decidir se recebe ou não a denúncia. Se ele receber, vai ser dado o amplo direito de defesa. Hoje é o dia que se inicia a acusação (…) Nós entendemos que essas pessoas em liberdade podem se movimentar para ocultar esses valores e, por isso, a procuradoria vai recorrer da decisão do desembargador [Ivan] Athié”, disse El Hage.

“A prisão ainda é necessária. Vamos lutar na Justiça para que o [ex-]presidente retorne à prisão” , disse. O procurador Leonardo Freitas também falou sobre a tentativa de o MPF reverter a decisão de soltar os acusados: “Nós respeitamos profundamente a decisão judicial, mas dela discordamos. Estamos convictos das nossas razões, dos nossos entendimentos. Isso está sendo mais elaborado nos recursos. Respeitamos a decisão, mas estamos buscando revertê-la”.

Deixe seu comentário: